Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019
TRÂNSITO

Após sete meses liberada, Faixa Azul volta a funcionar em três avenidas de Manaus

Devido obras na avenida Djalma Batista, corredor exclusivo estava liberado para todos os veículos desde março. Motorista que não obedecer regras comete infração com multa de R$ 293,47



faixa_azul_4B5E70D3-3651-45D7-92BC-0CC6879727FD.JPG Foto: Winnetou Almeida
26/11/2018 às 08:46

A faixa exclusiva para o transporte coletivo e veículos autorizados, conhecida como “Faixa Azul”, voltou ao funcionar nas avenidas Constantino Nery, Torquato Tapajós e Mário Ypiranga (antiga Recife), no último sábado. Segundo o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), no primeiro dia de fiscalização não houve registro de ocorrências.

A faixa exclusiva funcionará de segunda a sexta-feira, de 4h às 22h, e aos sábados de 4h até 12h. Nela, devem trafegar ônibus, táxis, veículo especial/fretamento, veículos de transporte de tropa e equipamentos bélicos das forças armadas, veículos guincho em efetivo sérvio de remoção, veículos de urgência, emergência e operacionais, devidamente identificados. Nos domingos e feriados, a faixa fica liberada para todos os tipos de veículos.



O motorista que não obedecer às regras de circulação comete infração gravíssima com multa de R$ 293,47 e perda de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Devido a obras na avenida Djalma Batista, desde março a Faixa Azul dessas avenidas estava liberada para todo os veículos. Com o retorno do funcionamento, a prefeitura realizou, do dia 13 até o dia 23 desse mês, um trabalho educativo para alertar motoristas de outros veículos sobre a circulação nas áreas com prioridade de transporte coletivo.

Desde sua criação, a faixa é polêmica, promovendo debates entre quem trafega pelas avenidas contempladas por ela. Para o analista contábil, Manoel Freitas, 37, o principal problema apresentando envolve o transporte coletivo. “Se for para ter trânsito livre aos ônibus teria que mapear para que todos os ônibus fossem únicos e exclusivos para a Faixa Azul, mas o que acontece é que em algumas vias existem ônibus na Faixa Azul e na faixa da direita, deixando apenas uma via para carro de passeio”, reclama.

Reclamações de condutores semelhantes a essa aparecem nas redes sociais do Trânsito Manaus, plataforma desenvolvida por Luiz Eduardo Leal, 31. “Nem todos os ônibus estão na faixa da esquerda, principalmente na Torquato Tapajós. Se isso fosse resolvido, isso daria uma consistência melhor do que é a Faixa Azul”, avalia.

Uma das críticas mais frequentes de condutores é de que durante longos períodos de tempo a faixa fica sem tráfego de veículos.

Se por um lado existe a reclamação dos condutores de veículos que não podem transitar pela faixa, por outro lado os usuários de transporte público elogiam. “Todo mundo que sai da Cidade Nova ou do T3 elogia bastante. Teve gente que falou que chegava em 15 minutos ao Centro em horário de pico”, conta Leal.

Previsão do PlanMob

De acordo com a Prefeitura de Manaus, o retorno da faixa exclusiva tem como intenção reduzir o tempo de viagem para mais de 400 mil usuários do transporte coletivo. “É importante respeitar a faixa. A fluidez do transporte coletivo é o que prevalece no plano de mobilidade. Então, estamos garantindo a facilidade para que as pessoas consigam chegar ao seu destino”, avalia o diretor de fiscalização do Manaustrans, Stanley Ventilari.

Para o motorista da linha 640 Francisco Carvalho, 44, a faixa exclusiva garante mais segurança e rapidez, tanto para os condutores do transporte coletivo quanto para os usuários. “Sem essa prioridade, os motoristas dos carros tomam atitudes perigosas como ultrapassagens bruscas, que colocam em risco a vida de todos”, afirma.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.