Publicidade
Manaus
DIA SEGUINTE

Após temporal, dia foi de reconstrução para quem foi atingido com as chuvas

Chuva na segunda-feira (30) causou destalhamentos e prejuízos. Mais de 45 ocorrências foram registradas pela Defesa Civil 31/10/2017 às 21:10 - Atualizado em 31/10/2017 às 21:12
Show zcid040101 p01
Quem teve a casa afetada passou a terça limpando e reconstruindo. Foto: Winnetou Almeida
Paulo André Nunes Manaus (AM)

O dia seguinte ao forte temporal da última segunda-feira (30) foi marcado pela contabilização dos prejuízos após ocorrências como o tombamento de árvores, destelhamentos de residências e a interrupção de energia elétrica, que prejudicaram milhares de pessoas.

Quem necessita diariamente da energia para trabalhar se viu em situação desesperadora. O barbeiro Ricardo Protássio, 30, e seus dois funcionários não conseguiram trabalhar anteontem por conta da interrupção ocorrida na rua Marechal Rondon, no Zumbi 1, Zona Leste, onde ele é proprietário da Barbearia Italiana. “Passamos o dia sem energia e perdemos muitos clientes que vieram aqui e voltaram sem atendimento. Diante dessa impossibilidade, acabamos por fechar o estabelecimento mais cedo. A luz foi embora às 9h e voltou umas 17h; e às 18h30 foi ‘embora’ novamente e só voltou hoje (ontem), às 9h”, comentou ele.

O prejuízo foi grande, disse o barbeiro. “Deixei de ganhar uns R$ 500 nesta segunda, eu e os outros dois barbeiros. Para recuperar isso temos que alongar o expediente e ficar com a barbearia aberta até as 22h, dobrando o horário”, frisa Protássio. E os prejuízos do barbeiro não ficaram por aí: o estabelecimento também foi destelhado pelos fortes ventos e parte da encanação quebrou, causando um tormento a mais para o proprietário. “Todas as vezes que chove é assim: falta energia e há problemas para nós”, conta Ricardo Protássio.

Destelhamento

Próximo dali, na rua Marcelo Santos, no Zumbi 2, também Zona Leste, a comerciante Rita de Cássia Soriano viveu momentos de apuros quando parte do telhado da casa dela voou pelos ares na manhã de segunda. Na mesma área funciona um pequeno comércio dela, que não foi atingido. Ontem, o dia foi dedicado a substituir as telhas e ainda contabilizar os prejuízos.

“As telhas de um dos lados da minha residência voaram todas. Era por volta de 9h30, 10h quando o problema começou. Foi um momento desesperador, ainda mais porque construí quartos bem recentemente no local. Todas as coisas dentro deles estão novas e eu ainda estou pagando”, disse ela, ainda sem saber, ao certo, o valor do seu prejuízo.

“Só sei que terei que substituir quatro telhas de seis metros cada”, ressalta ela, que mora há seis anos no local e que, quando ocorreu o temporal, estava sozinha - o marido e sua filha estavam ausentes. “Também houve falta de energia de 10h às 17h, depois faltou de novo a partir de 19h. Não cheguei a ter prejuízo porque o freezer estava congelado. Se tivesse destelhado a casa, aí sim a situação estaria pior”, afirma a comerciante.

Protestos na Zona Leste

Ainda reflexo do temporal de segunda-feira, moradores de bairros da Zona Leste fecharam ruas em protesto contra a falta de energia, problema que permanecia até o fim da manhã de ontem. O trânsito foi fechado nas avenidas Autaz Mirim, no São José 3, e também na avenida Palmeira do Miriti, no Distrito Industrial 2, onde pneus e pedaços de madeira foram incendiados para impedir o tráfego de veículos. Policiais militares foram acionados para liberar as vias. A Eletrobras informou, ontem à tarde, que técnicos estavam nos bairros Tancredo Neves e São José atendendo queimas de transformadores e que o fornecimento deveria ser normalizado até a noite de ontem. 

Quase 50 registros

A Central de Emergência 199 da Defesa Civil Municipal registrou um total de 49 ocorrências na última segunda-feira, dia 30, sendo 27 tombamentos de árvore sobre residências, 19 destelhamentos de casas, 1 risco de desabar casa de madeira, 1 solicitação de vistoria, 1 deslizamento de barranco.

Prejuízo em dose dupla no Zumbi 2

O comerciante Roberto Alves, 57, viveu um problema duplo no vendaval de anteontem quando, além da falta de energia, também teve parte do seu comércio atingido por galhos de uma imensa mangueira que quebraram parte das telhas.  O estabelecimento, denominado “Mangueirão Bar”, fica localizado na rua Antenor Cavalcante com Travessa São Lourenço, no Zumbi 2, Zona Leste, uma das mais afetadas pelo temporal de segunda-feira.

“Os fortes ventos ocasionaram a quebra dos galhos das mangueiras que têm aqui. É comprometedor. Já pedimos ajuda para a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros para cortarem (podarem) as árvores, mas nada ainda, ainda é falho esse procedimento deles. Ficamos sempre à mercê do perigo, pois as mangueiras estão todas podres, com cupins, e qualquer vento pode fazê-las cair sobre as residências”, contou o comerciante. “Ainda ficamos sem energia de 8h às 2h de ontem devido à queda de outras árvores em outras ruas”, contou.

Publicidade
Publicidade