Publicidade
Manaus
Manaus

Após tensão, policiais e comunitários se reúnem e discutem ações integradas

Comunidade Jesus Me Deu foi palco de cenas de violência policial e de intimidação. Agora unidos, PMs e populares buscam soluções para o enfrentamento da criminalidade no local 15/05/2015 às 21:46
Show 1
Coronel Santiago conversando com os moradores da comunidade
Kamyla Gomes Manaus (AM)

Cerca de 20 moradores estiveram reunidos com policiais na noite desta sexta-feira (15) na Igreja Batista o Caminho, na Comunidade Jesus me Deus, Zona Norte, para reivindicar mais segurança e menos criminalidade no local.

O presidente da comunidade, Sidney Ribeiro, relatou que os comerciantes da área vem sofrendo com a quantidade de assaltos frequentes. “O comerciante que menos foi assaltado, foi assaltado seis vezes, e o que mais sofreu assalto, foram 16 vezes. Isso é praticado por suspeitos em motos, roubos de celulares e nas paradas de ônibus. Estamos buscando junto com a comunidade, mais confiança na polícia”, frisou. 

Conforme o capitão Albuquerque, da 18° Companhia interativa Comunitária (Cicom), esse tipo de reunião ocorre sempre uma vez ao mês, dependendo da necessidade dos moradores, pode ser até mais vezes.

"A sociedade nos aponta o problema e fazemos de tudo para resolver. E esse tipo de reunião ocorre é extremamente importante para estreitar essa relação entre policiais e moradores. O policiamento na área é ostensivo" relatou Albuquerque.

De acordo com o capitão, a 18° Cicom atende as áreas do Novo Israel, Colônia Santo Antônio e Terra Nova, todos os bairros localizados na Zona Norte de Manaus. E conta também com o efetivo de 7 viaturas da Polícia Militar.

O encontro entre policiais e moradores serviu também para a PM mostrar o trabalho desenvolvido pela corporação na comunidade, como realização de palestras nas escolas, por exemplo.

A reunião, que teve início às 18h30, foi coordenada pelo tenente-coronel do Comando de Policiamento de Área (CPA) Norte, Márcio Santiago que destacou a importância de mostrar pra comunidade o que a polícia faz.

“A Polícia Militar junto com a comunidade é muito mais forte. Então o objetivo de hoje, além de receber as denúncias, é também de trocar ideias. Apesar do fato lamentável envolvendo os policiais militares na semana passada, estamos aqui para deixar claro que podemos sempre ajudar, para que tenhamos resultados sempre positivos”, destacou o coronel.

O tenente-coronel contou também que a reunião serviu também para traçar estratégias de como a polícia pode fazer com que tudo melhore. “Claro que não podemos estar sempre presentes, nós não vamos acabar com os roubos e furtos, mas vamos reduzir contando com essa ação conjunta junto com a sociedade. O fato envolvendo aqueles PMs, é isolado”, finalizou.

Publicidade
Publicidade