Publicidade
Manaus
OPERAÇÃO

Após tumulto, banda de carnaval é ‘fechada’ em Manaus; 11 bares são notificados

Houve descontrole e empurra-empurra na entrada do público, segundo a SSP. Durante a Operação Alegoria Proibida, um foragido também foi recapturado 07/01/2018 às 13:59 - Atualizado em 07/01/2018 às 16:06
Show 6ea7186a b850 4341 9b6d aca4fa0dbca5
Foto: Divulgação
acritica.com

Após a Polícia Militar registrar um tumulto durante a banda de carnaval DJ Evandro Júnior, na madrugada deste domingo (7) em Manaus, o evento precisou ser “fechado” pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) durante a Operação Alegoria Proibida, deflagrada desde a noite de sábado (6). Também 11 bares foram notificados e um foragido recapturado.

A banda DJ Evandro Júnior ocorria no estacionamento do Shopping Via Norte, no bairro Monte das Oliveiras, na Zona Norte da capital, e estava no roteiro de vistorias da Operação Alegoria Proibida. Segundo a SSP, houve descontrole e empurra-empurra durante a entrada do público e o evento também descumpria o limite de pessoas permitido, gerando insegurança aos brincantes.

De acordo com a SSP, no momento em que a equipe da operação chegou ao local, os organizadores não tinham em mãos a declaração de autorização do evento em conformidade com a Lei 2812/2003, que trata sobre segurança contra incêndio e pânico. Com isso, o vice-governador e secretário de segurança Bosco Saraiva determinou a notificação dos organizadores e do shopping center e o encerramento antecipado dos shows.

“Aqui houve um problemão do tipo que não vamos aceitar que ocorra em Manaus. Chegamos aqui, numa rotina que será seguida até o Carnaval, e tivemos a desagradável visão de um  descontrole total de um evento privado dentro do pátio do shopping, cujos organizadores estavam difíceis de serem encontrados e a segurança privada absolutamente desnorteada, colocando em risco a integridade física”, disse. Os organizadores e o shopping serão multados e poderão responder criminalmente pelos atos.

Segundo o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros, coronel Mauro Marcelo de Lima Freire, o evento tinha o dobro do público previsto no projeto dos organizadores, deixando vulnerável a segurança dos brincantes. “Eles estavam sem a autorização adequada. O evento era para 4 mil e tem 10 mil pessoas. Além disso, não há equipes de brigada de emergência em número suficiente, o que põe em risco a vida das pessoas que vêm brincar”, destacou.

Bares notificados

Também durante a Operação Alegoria Proibida 11 bares foram notificados pela falta do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, concedido aos empreendimentos que atendem aos critérios de segurança contra incêndios e evacuação em emergência. Foram fiscalizados bares e casas noturnas do Centro, Educandos, Coroado, Jorge Teixeira e Nova Cidade.

Equipes da Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros participaram das ações. Os notificados pelo Corpo de Bombeiros têm até 15 dias para apresentação de documentos e regularização de pendências.

Foragido é recapturado 

No Educandos, Zona Sul de Manaus, assim que o comboio policial da Operação Alegoria Proibida parou, o foragido Hytallo Rangel de Oliveira Modesto, condenado por roubo e respondendo a um processo por tráfico, tentou fugir. Mas foi preso dentro de uma quadra de esportes. O infrator foi conduzido ao 1° DIP, na Praça 14, para os procedimentos legais.

No Beco das Oliveiras, no Novo Israel, Zona Norte, as equipes da Polícia Civil encontraram drogas durante incursões pela madrugada. O local estava sem luz, o que facilitou a fuga dos suspeitos que deixaram trouxinhas de cocaína, maconha e uma balança de precisão no meio da rua.

Organizadores do evento

Em nota, a coordenação da “Banda do DJ Evandro Jr 2018 – Free” informou que o evento aconteceu, normalmente, e sem ocorrências de briga. “Em relação aos vídeos que circulam na internet, a coordenação esclarece que houve um princípio de confusão, que foi imediatamente controlado pela segurança, porque algumas pessoas quiseram invadir o evento sem passar por revista, o que não aconteceu, pois o grupo foi contido pela segurança”

Evandro Jr., o organizador do evento, afirmou que a regra era que todos passassem por revista. “A festa teve um público acima do esperado e as pessoas queriam entrar de uma vez e nós seguramos o público porque todos tinham que passar pela revista. Não podíamos deixar ninguém entrar sem revista. Nesse momento algumas pessoas tentaram entrar subindo o barranco, mesmo assim, a segurança conseguiu barrar”, afirma Evandro Jr., organizador do evento.

Evandro Jr. informou, ainda, que a SSP solicitou o término antecipado do evento para as 2h por excesso de público, mas a festa já estava acontecendo tranquilamente. “Apesar de ser uma banda gratuita, vista como carnaval de rua, o evento aconteceu em local fechado, com toda estrutura e segurança para os brincantes. Todas as pessoas passaram por revista, trabalhamos com 150 homens de segurança particular, fora o apoio do contingente policial da área”, afirma.

Evento com seguro

O organizador ressaltou, em nota à imprensa, que a “Banda do DJ Evandro Jr 2018 – Free” cumpriu todas as exigências legais de funcionamento e foi além com a contratação de seguro para o evento e para o público. “Nosso evento cumpriu todas as normas, está tudo regularizado e autorizado pelos órgãos competentes. Além da segurança nos preocupamos em fazer um seguro que nos resguarda e também beneficia o público, a primeira e única banda de Carnaval com seguro em Manaus. Graças a Deus não precisamos usar o Seguro. Também contamos com brigadistas e bombeiros civis, ambulatório e ambulância a postos a noite toda e não houve nenhum registro grave”, pontua Evandro Jr.

Os organizadores informam, ainda, que o público estimado do evento era de 4 mil pessoas e que o seguro foi feito para o dobro. “Pensamos até num possível overbooking e nos resguardamos. Foi o que aconteceu. Mas fechamos a portaria quando o espaço chegou quase na lotação, por volta das 22h”, garante.

Publicidade
Publicidade