Publicidade
Manaus
OPÇÃO

App ‘Madame Driver’ oferece em Manaus serviço de transporte exclusivo para mulheres

Nova ferramenta é alternativa para o público feminino, que sofre ou teme ser vítima de crimes de assédio usando os serviços à disposição no mercado 23/09/2018 às 06:15
Show madame driver 16074fde 9238 4279 aaa9 4d56df1db585
A empreendedora Soraia Pinheiro com o apoio do sócio, Luiz Henrique, são os responsáveis pela iniciativa (Foto: Junio Matos)
Karol Rocha Manaus (AM)

As mulheres já podem contar com os serviços exclusivos de transporte particular por aplicativos. Exemplo disso é o app “Madame Driver”, criado há um mês e possui o cadastro de quatro mil passageiras. A iniciativa partiu da empreendedora Soraia Pinheiro com o apoio do sócio, Luiz Henrique.

“Acredito que a plataforma veio para somar com as mulheres e trazer muito mais segurança a elas. Temos um número crescente de assédios em transporte particular, por isso, a ideia de criar esse mecanismo”, explicou Soraia.

A ideia surgiu há um ano, quando a empreendedora conheceu o modelo de serviço em São Paulo e decidiu investir na criação. “Eu conheci o serviço diferenciado por meio da ‘Lady Drive’, existente em São Paulo. Entrei em contato com a CEO da empresa propondo que eu fosse uma representante em Manaus, mas não foi possível por conta da distância”, contou.

Segundo ela, o formato do Madame Driver é parecido com os convencionais: a passageira solicita a corrida, a plataforma procura a motorista  e a viagem acontece. “Era meu sonho criar o aplicativo e hoje estamos com ele. Até o momento estamos com resultados positivos, o que precisamos é de mais motoristas mulheres aderindo. O lucro é de 100% para a motorista”, afirmou.

Mesmo disponível há pouco tempo, Madame Driver tem tido retornos significativos na adesão por parte das passageiras. “No momento em que lançamos  e divulgamos, tivemos uma demanda altíssima de passageiras, quatro mil cadastradas, e isso já foi um ponto positivo. As pessoas passam uma paras outras sobre a existência do app exclusivo e isso tem ajudado. Nós só aceitamos mulheres, crianças acompanhadas de mulheres e homens portadores de necessidades”, contou ainda a empreendedora.

Crimes de assédio

A razão de criar um aplicativo de transporte particular voltado para  mulheres vem dos recorrentes casos de assédios. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto DataFolha, em dezembro do ano passado, onde 1.427 mulheres de 194 municípios foram ouvidas, 42% das brasileiras com 16 anos ou mais declararam já terem sido vítimas de assédio sexual.

Os casos ocorrem principalmente na rua e no transporte público. Nas ruas, uma em cada três brasileiras adultas (29%)  declara já ter sofrido assédio, sendo que 25% sofreram assédio verbal e 3% o físico. O assédio em transporte público foi relatado por 22%, com incidência  entre assédio físico de 11% e verbal, 8%.

Viagem confortável

A enfermeira Mônica Lourenço, de 28 anos, chama a atenção para que mais motoristas mulheres possam  aderir aos aplicativos de transporte particular. “As mulheres poderiam aderir mais ao serviço trabalhando como motoristas. Fiz viagens com motoristas mulheres e, naquela situação, eu me senti bem mais segura”, afirmou ela. 

Mulheres relatam constrangimentos

Diante dos números gerais, a preferência visível das mulheres é quando a viagem por aplicativo é conduzida por uma mulher.  A assistente administrativo Rayana Ricardo, de 23 anos, disse já ter ficado constrangida após ter ouvido várias perguntas de um motorista.


No Madame Driver, a passageira solicita a corrida, a plataforma procura a motorista e a viagem acontece. Foto: Junio Matos

“Ficou ‘dando em cima’ de mim fazendo perguntas que eu não estava nem um pouco a fim de responder. Eu sempre fico muito constrangida porque, se a gente reclama, é coisa da nossa cabeça”, comentou ela. Sobre os aplicativos específicos para o público do mesmo sexo, ela aprova a ideia.

“Uma vez quando viajei para Fortaleza, chamei um Uber e para a minha felicidade era uma moça que dirigia. Sem dúvida, nesses tempos em que passamos por situações praticadas por homens em qualquer lugar, seja dentro de um transporte coletivo ou particular, eu como passageira e consumidora, prefiro as motoristas. Enquanto vivermos num lugar que não vemos um avanço na educação nesse sentido e nem punições para esse tipo de assédio, eu vejo a plataforma voltada para nós, mulheres, como uma solução para o momento”,  afirmou a assistente.

Outros formatos agradam

Um serviço similar e que também oferece serviços de transporte particular exclusivo para mulheres é o “Penélope’s Drive”, inaugurado em Manaus em dezembro do ano passado.  O modelo, inspirado no aplicativo paulista  “Lady Driver”, foi criado pela vendedora Jamylli Oliveira e utiliza outro software para contabilizar o preço dos trajetos das clientes.

“Quis apostar nas corridas para garantir uma renda extra, mas tinha medo, porque quem faz esse serviço acaba trabalhando sozinho. A gente nunca sabe quem vai entrar no carro. Quando vi que o Lady Driver não funciona aqui, comecei a atuar por conta própria. Agora trabalho de uma forma confortável, atendendo só mulher", ressaltou a vendedora.

Os serviços, segundo ela, são disponibilizados durante a semana de 18h30 às 00h, aos sábados de 14h até às 3h, e aos domingos, a partir das 6h às 0h.

Publicidade
Publicidade