Publicidade
Manaus
NÚMEROS

Apreensão de armas de fogo em Manaus cresce 15% em 2018, aponta SSP-AM

As apreensões vão desde armas de fabricação caseira a fuzis e até uma metralhadora .30, com capacidade para derrubar aeronaves 10/07/2018 às 17:50
Show armas
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Neste ano, o número de armas de fogo apreendidas pelas forças de segurança do Amazonas aumentou 15% em relação à igual período de 2017, apontam dados da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai) e da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Até maio, foram 278 armas recolhidas das mãos de criminosos. As apreensões vão desde armas de fabricação caseira a fuzis e até uma metralhadora .30, com capacidade para derrubar aeronaves.

“Esse é o resultado do trabalho ostensivo da Polícia Militar, das investigações da Polícia Civil e da atuação da nossa Inteligência, que estão tirando das mãos dos criminosos essa quantidade de armamento, atrapalhando a execução de ações desses infratores contra a sociedade”, destacou o secretário de Segurança Pública, Coronel Anézio Paiva.

Os revólveres continuam sendo a maioria do total apreendido pelas polícias, conforme informações do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), coordenado pela Seai e outros órgãos. A cada duas apreensões, uma é de revólver, totalizando 140 unidades das 278 armas apreendidas neste ano. Em 2017, foram 241 de janeiro a maio. “O revólver 38 é de fácil aquisição, inclusive por ser mais barato”, explicou o Comandante da Polícia Militar, Coronel David Brandão, que destacou que alguns grupos criminosos estão alugando armamento para homicídios e assaltos.

Investigações e reforço ostensivo

Desde outubro do ano passado, a SSP vem atuando de forma intensa para a redução dos indicadores de violência no Estado, com reforço nas investigações e nas ações ostensivas, como as operações integradas entre Polícia Militar (PM), Polícia Civil (PC), Corpo de Bombeiros, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Seai, Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop) e Secretaria Executiva Adjunta de Planejamento e Gestão Integrada (Seagi).

“O compartilhamento de informações e a integração entre as forças de segurança têm feito com que a gente tenha esse resultado positivo. Houve um avanço no policiamento ostensivo da PM e o trabalho da Força Tática, Rocam e do Rádio Patrulhamento tem sido importante para estas apreensões”, afirmou o Comandante David Brandão.

Na Operação Banzeiro, deflagrada em abril, foi apreendida uma metralhadora Browning M1919 .30, de fabricação norte-americana, avaliada no mercado negro em torno de R$ 80 mil e possivelmente trazida para o Brasil da região da tríplice fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru.

O armamento estava na casa Alex Bruno Soares Lopes, 27, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus, quando 13 integrantes de uma organização criminosa foram presos em diversas zonas da cidade. À época, Alex conseguiu fugir, deixando a metralhadora para trás. Responsável por guardar armas e munições da facção, ele foi preso em junho por policiais da Seai com 85 munições da metralhadora .30.

A arma é a mesma que aparece em foto com o narcotraficante Clemilson dos Santos Farias, de 40 anos, vulgo “Tio Patinhas”. Preso em junho, no Nordeste, um dos líderes de uma facção criminosa afirmou que havia planejado comprar o armamento para a facção, mas desistiu por causa do valor elevado. As investigações apontam que Clemilson mantém conexão com o traficante Gelson Carnaúba, ambos do mesmo grupo criminoso.

“Nos últimos meses, fizemos grandes ações no combate ao crime organizado”, destacou o secretário executivo adjunto de Inteligência, delegado Herbert Lopes. “Uma grande apreensão ocorreu, por exemplo, na área do Mutirão, quando um grupo de 20 pessoas ligadas a uma facção estava se preparando para atacar a área de uma facção rival”, completou. Nesta ação, em fevereiro, foram aprendidos um fuzil, metralhadoras e diversas pistolas.

Armamento

Além das metralhadoras, fuzis e revólveres, as forças de segurança pública do Amazonas apreenderam pistolas, espingardas, rifles, garruchas, entre outras armas.

No último fim de semana, em nova etapa da Operação Cavalo de Aço, o suspeito de roubo a uma joalheria foi preso com uma arma calibre 38. A prisão de Diego Macedo Ribeiro, 32, foi feita por policiais militares das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam). Além dele, um trio foi preso no bairro Redenção com armas de fabricação caseira e munições de calibre 28.

“O aumento no número de apreensões é um mérito da polícia, mas entendemos que segurança não é só uma questão policial. Da nossa parte, estamos buscando constantemente novas estratégias para combater a criminalidade”, afirmou o secretário executivo adjunto de Operações, tenente-coronel da PM, Klinger Paiva.

Depois que as armas são apreendidas pelas forças policiais, o setor de Balística Forense do Instituto de Criminalística (IC), do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPCTC), emite um laudo confirmando as características das mesmas, que passam a integrar as estatísticas de armas apreendidas.

Publicidade
Publicidade