Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019
POSICIONAMENTO

Arcebispo de Manaus defende ordenação de padres casados na Amazônia

Assunto será discutido no Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia, em outubro, no Vaticano. Dom Sérgio diz que discussão é fruto de escuta à comunidade amazônica



WhatsApp_Image_2019-06-19_at_10.02.07_61D7038E-5C45-4922-B871-D2A389D75C50.jpeg (Foto: Euzivaldo Queiroz)
19/06/2019 às 11:09

Homens escolhidos pelas  comunidades de áreas mais distantes na Amazônia, mesmo que casados, poderão no futuro celebrar missas e realizar confissões, dessa forma assumindo a atuação de padres da Igreja Católica. A possibilidade de ordenar homens casados e mulheres para regiões remotas será discutido durante Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia.

O assunto é um dos temas tratados no documento oficial "Instumentum Laboris". O texto vai servir de base para os debates dos padres sinodais que participarão do encontro que será realizado nos dias 6 a 27 de outubro, no Vaticano.



De acordo com o arcebispo de Manaus, Dom Sérgio Castriani, devido ao difícil acesso em algumas regiões da Amazônia, a alternativa de levar a palavra de Deus a essas comunidades seria que homens ou mulheres escolhidos pelos seus povos possam realizar celebrações cristãs. 

"As comunidades precisam da eucaristia. São pessoas que têm a condição de serem padres, são homens sérios e preparados, que vivem para suas comunidades, que já reúnem a comunidade para rezar e já celebram a palavra. Esse documento é o fruto disso, de anos de escuta com a comunidade, rodas de conversa e esse assunto não é novidade para quem está por dentro do processo sinodal", afirmou.

Conforme o assessor de comunicação da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), Pe. Luis Miguel Modino, a possibilidade ainda será discutida durante o Sínodo Para a Amazônia, e o Papa Francisco precisar aprovar a situação. Caso isso aconteça,  homens e mulheres que já tenham família poderão celebrar missa e realizar confissões. Atualmente, leigos podem apenas presidir matrimônios e batismos. 

"Parece que em outras regiões do planeta, como nas ilhas do Pacífico, se dá a mesma situação de difícil acesso de padres. Mas, em princípio,  que a Amazônia possa ser o local onde isso seja colocado em pauta é uma possibilidade, ainda não é uma coisa certa. É uma coisa que vai se estudada pelos bispos do Vaticano, a partir daí o Papa Francisco vai ver se essa é uma possibilidade real para a Igreja Católica", completou.

O documento será discutido pelos padres sinodais. Depois disso, o Papa Francisco assinará o documento final chamado Exortação Pós Sinodal, que deve ser apresentado no mês de março do ano que vem.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.