Publicidade
Manaus
Manaus

Área abandonada no mirante da Embratel vira cenário de crimes em Manaus, afirmam populares

Trabalhadores contam que no local já houveram casos de estupro, roubos e agressão de PMs. Em dez anos, três projetos para revitalizar o mirante foram descartados. Gestão atual afirma novo plano está sendo elaborado 14/01/2015 às 13:55
Show 1
Mirante da torre Embratel está com estrutura abandonada em Manaus
OSWALDO NETO Manaus (AM)

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS

Área com potencial turístico pela beleza do Encontro das Águas, o mirante da antiga torre da Embratel, na Zona Leste, continua com a estrutura abandonada e se tornou um ponto propício para a prática de vários crimes. O espaço já chegou a ser visado pela Prefeitura para receber obras do arquiteto Oscar Niemeyer e ser um Fun Park da Copa do Mundo. Há quatro anos A CRÍTICA denunciou as condições do local, mas nada foi feito até hoje.

O mirante está a 60 metros acima do rio e possibilita ao visitante uma vista privilegiada do encontro dos rios Negro e Solimões, porém, o que se vê hoje ali é um depósito de lixo, contribuindo não só para a proliferação de animais como ratos e urubus como para o aumento da criminalidade.

De acordo com o funcionário de uma empresa de segurança, o abandono do mirante vem tornando o local perigoso. “Tem vários casos. Uma vez um homem passou correndo só de cueca aqui depois de fugir de uns caras que estavam estuprando a namorada dele. Ele ficou amarrado e conseguiu se soltar. Também já teve um dia que uns policiais trouxeram um menino que roubou no Jorge Teixeira e quebrou os braços dele...Sem contar roubos de motos e carros de pessoas que vem tomar banho na praia”, disse ele, que preferiu não se identificar.

A única via que dá acesso ao mirante, a rua Anísio Jobim, também encontra-se em péssimas condições. A reportagem constatou a existência de uma grande quantidade de entulho ao longo da rua, além de lixo e contêineres abandonados.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), o projeto para a revitalização do espaço é da gestão municipal passada. O órgão ainda informou que a Prefeitura deve analisar o que pode ser feito no local para amenizar os problemas. Sobre uma nova obra, a secretaria revelou que há um estudo para elaboração de um novo projeto, mas que está na fase de avaliação de orçamentos, visto que outras obras na capital devem ser priorizadas. O órgão não deu detalhes sobre o projeto.

A Seminf completou informando que a idealização de um novo projeto ficaria sob a responsabilidade do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb). O órgão informou que tem estudos preliminares para a referida área, porém não forneceu maiores dados.

Obras descartadas

Três obras pensadas para a área foram descartadas em 10 anos. Conforme A CRÍTICA apurou em 2011, a Prefeitura gastou cerca de R$ 600 mil em 2005 para a realização de um projeto de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer. Serafim Corrêa, prefeito na época em que o projeto foi pensado, afirmou que município não dispunha de verba suficiente. Em a Prefeitura também abandonou o projeto de transformar o local em um Parque Ecológico.

O mais recente caso foi a proposta de adequar o espaço para ser um Fun Park da Copa do Mundo FIFA 2014, que não foi executado.

Publicidade
Publicidade