Publicidade
Manaus
Novo Aleixo

Dez anos depois, loteamento Parque das Garças 2 é alvo de outros invasores

Moradores estão sendo ameaçados por um novo grupo de invasores recém chegados que aproveitaram o fundo dos lotes para construir barracos 12/05/2017 às 14:28 - Atualizado em 12/05/2017 às 14:28
Show novo alei
Moradores, que invadiram a área há 10 anos, reclamam de um grupo com 50 novos invadores récem chegados (Antônio Lima)
Isabelle Valois Manaus (AM)

Além dos problemas judiciais para conseguir o reconhecimento de posse dos terrenos ocupados há 10 anos, desde a última semana os moradores da rua Cássia-Negra, do loteamento Parque das Garças 2, no Novo Aleixo, Zona Norte, estão sendo ameaçados por um novo grupo de invasores recém chegados que aproveitaram o fundo dos lotes para construir novos barracos.

Conforme a recepcionista Sônia Silva Matos, 46, uma das moradoras desta área visada novamente para invasões, os novos ocupantes andam armados e ameaçam matar quem os denunciar. Esse novo grupo tem uma média de 50 pessoas, liderados por uma mulher conhecida como apenas pelo apelido de “loira”. “Por conta da situação no qual nos encontramos para resolver as posses dos lotes onde moramos, a polícia nem sequer aparece por aqui. Desde que este grupo apareceu no loteamento, sempre que os vejo armados, tento acionar a polícia, mas eles nunca comparecem. Estamos com medo do que possa a vir acontecer, não sabemos qual a periculosidade desse povo, pois quem os conhecem afirmam que eles são acostumados a invadir terras pela cidade ”, disse a Sônia.

A recepcionista contou que há integrantes do novo grupo de invasores que tentam arrombar as casas construídas para se apropriar do imóvel. “Eles apontam a arma no rosto de quem abre a porta. Estamos vivendo um terror”, completa.

Além das constantes ameaças, o novo grupo de invasores também estão comercializando droga no loteamento. “Não bastava nossa luta diária para conseguirmos a posse de terras onde moramos há mais de 10 anos, agora nos vem esse grupo para nos trazer mais problemas como esses”, disse.

Para aqueles que chegam a retrucar as ameaças do novo grupo de invasores, além de morte, eles também recebem ameaças de perderem as residências queimadas. “Eles ficam dizendo que irão atear fogo nas nossas casas. Tem vizinho que com medo até de sair de casa. Esse povo não é normal, e estamos sem saber o que fazer. Estamos com medo”.

A recepcionista afirma que, assim como ela, mas de 30 famílias que vivem nesta parte do loteamento também foram ocupantes do local. Hoje eles se consideram como posseiros, por conta do tempo em que vivem no local. Por conta disso, assim como os demais ela também deu entrada na Justiça na luta de conseguir o documento de posse. “O loteamento não tem mais condição de receber novos moradores”, disse.

Crimes ambientais no local

A ocupação do Parque das Garças, localizada na Zona Norte de Manaus se encontra em uma Área de Preservação Permanente (APP) segundo o Grupo Integrado de Prevenção às Invasões em Áreas Públicas no Estado (Gipiap).

Por se tratar de uma ocupação irregular, os primeiros ocupantes tiveram dificuldades para conseguir que o abastecimento de luz e energia chegasse no local. Muitos crimes ambientais tem sido registrado nessa área e os órgãos competentes, das esferas municipal, estadual e federal, tem sempre recebido diversas denúncias. Toda essa área tem sido há anos alvo de ações de retirada de barracos há muito tempo e o Ministério Público Federal (MPF) tem acompanhado o caso.

Publicidade
Publicidade