Publicidade
Manaus
AVENTUREIROS

Argentinos buscam patrocínio para viajarem até a África de carro

'Hermanos' estão em busca de patrocínio para viajarem até o PA ou RO de balsa e seguirem até o destino final. A aventura deles começou em 2016 03/03/2019 às 09:07
Show argentinos 1 5b5d75e8 5b04 4dcf 8762 4081aaa7528e
Por enquanto, amigos estão hospedados no bairro Crespo, na Zona Sul (Fotos: Jair Araújo)
Karol Rocha Manaus (AM)

Após passar por sete países da América do Sul, a contar com Brasil, na companhia de um antigo Fiat ano 1961, os amigos argentinos Sonia Sadaniowski, 36, e Luiz Alberto Bettencourt, 35, pretendem ir mais longe: o sonho deles é chegar até a África Ocidental, mas antes, precisam de um patrocínio para viajar de balsa até Belém (PA) ou Porto Velho (RO). É a partir de uma dessas cidades que eles pretendem seguir a viagem até o destino desejado.

A aventura começou em 2016, quando o casal de amigos decidiu pegar o  carro para conhecer melhor o próprio país, a Argentina. “Primeiro viajamos por dentro do nosso país.  A partir daí veio a vontade de passar por mais lugares. Cruzamos o Chile, Peru, Equador, Colômbia, ingressamos na Venezuela via legal e depois viemos para o Brasil. Meu sonho sempre foi percorrer a América do Sul e o sonho do Luiz é conhecer a África, mais precisamente  as Ilhas de Cabo Verde, porque os avós dele são de lá”, contou Sonia Sadaniowski,  que decidiu largar a profissão de administradora para viver uma aventura.

 Experiências

 De acordo com os dois amigos,  que antes eram namorados, conhecer novas pessoas e compartilhar experiência é o melhor nas viagens. “O mais importante é o encontro com as pessoas, o intercâmbio cultural. Nos damos conta de que o mais importante é dar valor às pequenas coisas e viver fora da zona de conforto”, disse Luiz Alberto, que é técnico em eletrônica de carros.

“Saímos da Argentina, deixamos de nos dedicar a certas coisas para ganhar outras e tudo vai tomando forma e a vida apresenta pessoas queridas pelo caminho”, afirmou ele.

Sonia contou que os dois nunca passaram por situações constrangedoras ou foram vítimas de má-fé. “No geral, as pessoas têm nos dado muito apoio. Nunca aconteceu algo ruim conosco. Inclusive, ouvíamos que a Venezuela estava difícil. Ficamos 90 dias lá e foram os melhores. Nós não mostramos medo, no entanto, onde chegamos,  fazemos amigos”, pontuou.

 Chama atenção

 O carro Fiat, repleto de adesivos e bandeira da Argentina e agora enfeitado com a do Brasil, tem 58 anos e os motores ainda são os originais. “Esse é nosso carro e com ele que viajamos para os lugares. É de 1961 e seu motor está todo original. Foi fabricado na Itália”, explicou Sonia, afirmando ainda que a maior dificuldade é quando eles precisam parar por conta de algum problema na mecânica do veículo. 

“As dificuldades reais são as mecânicas, às vezes. Porque o carro é a nossa solução para irmos avançando nas viagens. As pessoas no caminho nos ajudam muito, esse que é o maravilhoso de viajar. Em cada lugar que paramos, sempre tem alguma pessoa que oferece ajuda, compartilha a companhia e nessa situação que pode parecer difícil, torna-se a melhor história da viagem. As dificuldades são a  nossa aprendizagem”, ressaltou ela.

Hospitalidade

 Hoje, os argentinos estão hospedados na casa do autônomo Gilberto Jacob de Souza, 57, na avenida Silves, bairro Crespo, na Zona Sul de Manaus. O Fiat 1100, de 1961, fica  estacionado na frente da residência e chama a atenção de todos que passam pelo local.

“Os conheci quando estavam na Praça da Saudade. Era o primeiro dia deles em Manaus  e eu pedi para tirar algumas fotos. Eles atenciosamente atenderam o meu pedido e tiramos várias fotos. Em seguida, eles me perguntavam onde ficava o Teatro Amazonas e pedi que eles me seguissem. Passamos alguns momentos conversando até que citei que eu havia um apartamento disponível até eles seguissem viagem à África. Os dois são pessoas muito especiais e adoráveis”, afirmou Gilberto.

Viagem depende de patrocínios

Os argentinos Sonia Sadaniowski, 36, e Luiz Alberto Bettencourt, 35,  contam que precisam chegar de balsa em Porto Velho, em Rondônia,  ou em Belém, no Pará,  para seguir viagem até o próximo destino, a África. Os argentinos Sonia Sadaniowski, 36, e Luiz Alberto Bettencourt, 35,  contam que precisam chegar de balsa em Porto Velho, em Rondônia,  ou em Belém, no Pará,  para seguir viagem até o próximo destino, a África.

“Estamos tentando conseguir cruzar de balsa para uma dessas cidades. Qualquer um dos dois lugares nos serve. Precisamos muito da ajuda de um patrocinador, ou alguém que possa nos ajudar nesse sentido”, disse Sonia.

Como os dois não possuem telefone, a única forma para contactá-los é pelas redes sociais, pela página Kilometro a Kilometro, no Facebook.

Publicidade
Publicidade