Terça-feira, 25 de Fevereiro de 2020
memórias eternas

'Arlindo nasce para a imortalidade da memória de Parintins', diz Fred Goés

Grande pensador do boi Garantido relembra o seu primeiro encontro com o Pop da Selva, muito antes do artista, falecido no último domingo (29), assumir a função de levantador de toadas do Caprichoso



sa_da_3B81961F-F124-4696-A527-5FD7F2F20BE0.jpg Fotos: Arleison Cruz
31/12/2019 às 12:50

Um dos nomes à frente da Comissão de Arte do Garantido, o artista Fred Goés relembrou nesta terça-feira (31), durante homenagem para o eterno levantador do Caprichoso, Arlindo Júnior, falecido no último domingo (29), como conheceu o artista que fez história no boi-bumbá Caprichoso.

Muito emocionado na Catedral de Nossa Senhora do Carmo, em Parintins, onde acontecia uma missa em homenagem a Arlindo, Fred, de 71 anos, afirmou que o artista chegou ao município, distante 369 quilômetros de Manaus, pronto. Para ele, o Pop da Selva agora nasce para a eternidade da história de Parintins.



"O Arlindo foi um menino, vou falar menino porque ele era 20 anos mais novo do que eu. A primeira vez que o vi foi sentado no batente da casa do Floriano [Lins, jornalista] com os meninos do Sangue Azul. Ele tinha vindo para tocar na festa de 15 anos da filha do Mário Flávio. Parei ali com o Floriano e o vi cantar. Naquele momento senti o Arlindo um artista pronto. Falei com o Floriano:  por que a gente não monta uma banda de pagode? O pagode estava começando naquela época. Daí surgiu, junto com outros  meninos do azul e branco, o Levanta Poeira. A gente fez o lançamento deles aqui no Ginásio Elias Assayag", disse Fred, que chegou a abrir os shows do grupo. 

"Para mim está muito claro que o Arlindo não foi levantador do Garantido porque tínhamos outro grande nome sagrado, o Emerson Maia. Quando ele nos comunicou que seria levantador do Caprichoso, para nós foi uma felicidade. Sabíamos que ele era uma pessoa pronta. O Arlindo nasce para a imortalidade da memória de Parintins. Ele se tornou um imortal de Parintins. Naquele dia ficou muito claro [dia que o viu pela primeira vez], o Arlindo sempre foi um grande artista e chegou em Parintins pronto", concluiu Fred. 

Durante a homenagem a Arlindo na Catedral, Floriano foi se despedir do amigo. Após a cerimônia religiosa, o corpo do Pop da Selva seguirá em cortejo para o Aeroporto Julio Belém. Ele retornará para Manaus onde será sepultado no Cemitério São João Batista, na Zona Centro-Sul.

*Colaborou Carlos Alexandre / CNA7

News rafael seixas f19bfc74 2a6d 4824 91e0 ea63ab017774
Editor do Portal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.