Publicidade
Manaus
POLÍCIA

Armeiro da facção criminosa FDN e mais dez são presos com oito armas em Manaus

O membro da facção é industriário e foi preso com o uniforme da empresa em que trabalha. Prisões ocorreram entre a noite de sexta-feira e a madrugada deste sábado (15) 15/12/2018 às 11:28 - Atualizado em 15/12/2018 às 16:29
Show whatsapp image 2018 12 15 at 11.27.40 d5ecdae6 2be8 4dbb 9503 498a49763b4c
Foto: Divulgação
Joana Queiroz Manaus (AM)

Onze quilos de droga e oito armas de fogo apreendidas, além de 11 criminosos presos. Esse foi o resultado da atuação do policiamento de rotina da Polícia Militar e Força Tática na noite de sexta-feira (14) e madrugada deste sábado (15) em Manaus. A maioria dos presos tem passagem pela polícia e alguns são ex-presidiários.

Os presos são Messias Dias Pereira Braga, 33; Michael Gama de Almeida, 25; Leandro de Souza Lima, 23; Serito Freitas de Souza, 39; Robson Bilson da Silva, Menezes, 42; Thiago Ferreira Lima, 28; Rafael Oliveira de Souza, 24; Iderfesson Sousa da Silva, 31; João Marcos Alves Braga, 25; Kelison Araujo Costa, 36; e Anderlison Siqueira Hipy, 33. Todos foram presos em flagrante e hoje à tarde vão passar pela audiência de custódia.

De acordo com o comandante da Rocam, tenente coronel Bruno Azevedo, quatro das armas que foram apreendidas estavam em poder de Iderfesson, um industriário que era usado como armeiro da facção criminosa Família do Norte (FDN). Ele foi preso na avenida Buriti, no Distrito Industrial, Zona Sul, quando saía da fábrica onde trabalhava. Ainda uniformizado, ele estava indo entregar as armas aos criminosos. Todo o armamento estava no porta-malas.

João, Kelison e Andernilson foram presos na avenida Umberto Calderaro, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul. O trio estava transportando quatro quilos de droga. Segundo o coronel Klinger Paiva, comandante da Força Tática, Leandro Serito e Robson estavam com seis tabletes de skunk e um revólver calibre 38. Já Michael e Messias foram presos portando três armas de fogo.

O secretário de segurança pública, coronel Amadeu Soares, disse que as armas apreendidas eram usadas para assaltos, pistolagem e na “segurança” de bocas de fumo de Manaus.

Publicidade
Publicidade