Terça-feira, 21 de Maio de 2019
Manaus

Artur afirma que não vai mais aceitar novos problemas como o rompimento da adutora

“Pedi que essa fosse a única surpresa desagradável no meu governo. Eu não quero desculpas”, diz Artur Neto. 



1.jpg
O prefeito esteve novamente no local do rompimento na manhã desta quarta-feira (16)
16/01/2013 às 10:08

O prefeito de Manaus esteve na manhã desta quarta (16) na Rua das Flores com a rua Matos Areosa, no Bairro Compensa, na Zona Oeste de Manaus, local onde aconteceu o rompimento da adutora que atingiu 125 famílias na manhã dessa terça-feira (15). Para ele, a prevenção é a palavra de ordem para se evitar que acidentes como estes se repitam e que a missão da Prefeitura agora é fiscalizar para que haja o reabastecimento de água no bairro atingido.

“Uma parte das casas já tem água, na outra rua dizem que não, e eu quero que tudo volte ao que era antes. Não tenho que dar nenhuma medalha para a empresa (Manaus Ambiental), nem pra ninguém. Medalha porquê? Porque voltamos ao que era antes? Que não era nenhuma maravilha? Eu quero que a normalidade seja estabelecida. Então não tem aplauso, abracinho nem nada. Simplesmente nós trabalhamos de maneira dura pra enfrentar os problemas da cidade”, enfatizou o prefeito.

Ainda conforme Artur Neto, há problemas que podem ser detectados com antecedência, e afirmou que pediu à Manaus Ambiental, empresa responsável pelo abastecimento de água na cidade, que esta fosse a “única surpresa desagradável no seu governo”.

“Eu não quero desculpas. Eu quero simplesmente que eles vejam com antecedência todos os pontos fracos, que vejam os piores males envelhecidos, que faça uma revisão dos canos novos. Eu quero prevenção para que não aconteça mais nada de desagradável”, pontuou Artur Neto.

O prefeito alegou também ter sido um “milagre de Deus” não terem ocorrido mortes por conta do rompimento da adutora.

“Tem uma pessoa ferida que está se submetendo a uma cirurgia, felizmente sem perigo de vida. Uma criança podia estar na rua e ser levada pela enxurrada, então isso aqui não foi brincadeira não. Pra mim deve ser levado muito a sério. Deve ser levado a sério pela empresa também, e por todas as pessoas que têm responsabilidade sobre Manaus”, concluiu o chefe do executivo municipal.

Um dia depois do rompimento

Moradores da área atingida pelo rompimento de uma das adutoras da Manaus Ambiental continuam a limpeza do barro que invadiu e ficou acumulado nas casas e estabelecimentos comerciais.

Aproximadamente 125 famílias foram atingidas, sendo que trinta delas precisaram ser retiradas do local e realocadas em hotéis custeados pela concessionária de águas.

O serviço de abastecimento de água foi interrompido nas Zonas Oeste e Norte logo após o incidente e restabelecido depois do conserto da adutora, ainda na noite da ocorrência, por volta das 20h. De acordo com a assessoria de imprensa da Manaus Ambiental, até o fim da manhã desta quarta-feira (16), as equipes de operações da empresa estarão voltadas para o recapeamento do asfalto das vias.

Ainda segundo a assessoria, outra equipe continua o serviço de levantamento de informações junto às famílias atingidas para o ressarcimento dos prejuízos com o rompimento da adutora.  Um estudo técnico que vai identificar quais as causas do rompimento está sendo executado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.