Publicidade
Manaus
Manaus

Artur anuncia reajuste da passagem de ônibus para R$ 3

 Em 2014, o valor será rediscutido, explicou o chefe do executivo. Com o aumento, a capital passa a ter a segunda tarifa mais cara do País entre as cidades com mais de 500 mil habitantes 27/03/2013 às 22:10
Show 1
A coletiva aconteceu no Parque das Laranjeiras com representantes da SMTU e o prefeito Artur Virgílio
Ana Carolina Barbosa Manaus

O prefeito de Manaus Artur Virgílio Neto (PSDB) acaba de anunciar que o valor da passagem do transporte coletivo na capital passará para R$3, ou seja, 9,01% a mais do que o valor praticado atualmente de R$ 2,75. A medida passa a valer no próximo sábado (30/03). Em 2014, o valor será rediscutido, explicou o chefe do executivo. 

O valor, contudo, não contempla a proposta feita, há alguns dias, pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amaoznas (Sinetram), de R$ 3,50.

Atualmente, dez empresas possuem a concessão do serviço de transporte público convencional em Manaus. Com o reajuste, a capital amazonense passa a ter a segunda tarifa mais cara do País entre as cidades com mais de 500 mil habitantes, perdendo apenas para três cidades paulistas que praticam o valor de R$ 3,30. São elas: Campinas, Osasco e Santo André. O dado é da Associação Nacional de Transportes Públicos (Antp).

Os cálculos levados em consideração para o reajuste foram baseados exclusivamente em planilha trabalhada pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU). Segundo o prefeito, a passagem estava congelada há dois anos e neste período, a inflação no País foi de 12%, enquanto que o reajuste corresponde a apenas 9%.

Conforme contrato celebrado, em 2011, entre Prefeitura de Manaus e Sinetram, o reajuste deveria ter ocorrido em outubro de 2012, durante a gestão de Amazonino Mendes que, embora já estivesse à frente do Executivo Municipal, em 2011, acabou não concedendo o aumento da tarifa durante sua gestão.

O prefeito também explicou que o reajuste faz parte de um acordo tripartite, que envolve os donos das empresas do transporte, trabalhadores rodoviários e poder público. Ficou definido que os empresários se comprometem a renovar parte da frota ainda este ano e pagar um ‘vale lanche’ no valor de R$ 3 para os trabalhadores todos os dias. Já os rodoviários, se comprometem a não ameaçar com greves a todo instante.

Salários

Na mesma ocasião, o presidente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, informou que os motoristas de ônibus também terão reajuste nos salários, que passarão de R$1.691 para R$1.812, aumento de 7,2%. O aumento também passa a valer em abril. Além disso, será adotada a prática da compensação tarifária que levará a um consórcio operacional. 

Na prática, quem tiver maior Índice de Passageiros por Quilômetro cederá uma parte da renda para as outras empresas, de modo a equilibrar a receita.



Publicidade
Publicidade