Quarta-feira, 18 de Setembro de 2019
Manaus

Artur evita comentar sobre declarações de Tayah sobre reajuste salarial da CMM

Para o novo prefeito, cabe ao ex-presidente da Câmara Municipal de Manaus a tarefa de se preocupar em explicar as ações dele frente ao órgão



1.gif Artur não comentou declaração do ex-presidente da CMM, Isaac Tayah, de que ele soube antes do reajuste de salários
08/01/2013 às 09:03

O prefeito Artur Neto (PSDB) disse nesta segunda-feira (07), que não comentará as declarações do ex-presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM) Isaac Tayah (PSD) sobre o reajuste salarial do prefeito, vice-prefeito e dos secretários municipais. Amanhã, a CMM vota em caráter extraordinário a redução dos salários para o valor recebido pela antiga administração municipal.

No dia 19 de dezembro os vereadores aprovaram por unanimidade o reajuste salarial deles próprios, dos prefeito, vice-prefeito e secretários municipais. Com o reajuste, o salário do prefeito passaria de R$ 19 mil para R$ 24,2 mil mensais; o do vice-prefeito Hissa Abrahão (PPS) de R$ 18 mil mensais para R$ 23,2 mil; o dos secretários de R$ 15 mil R$ 18 mil; e o dos subsecretários de R$ 14 mil para R$ 17 mil.

Em matéria publicada ontem em A CRÍTICA, Isaac Tayah declarou que o prefeito Artur Neto sabia do reajuste salarial e que, em nenhum momento, pediu que não houvesse o aumento. “Ele foi consultado se poderíamos fazer ou não esse aumento. E ele (prefeito) me colocou que se fosse constitucional não teria problema nenhum. Eu fiz do jeito que foi solicitado”, disse Tayah à reportagem.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.