Segunda-feira, 20 de Maio de 2019
Manaus

Artur Neto sanciona reajuste de 9,5% no salários dos professores

Atualização será repassada de forma parcelada, sendo que os primeiros 4% serão pagos nos vencimentos de julho, retroativos ao vencimento do mês de maio. Os demais 5,5% serão pagos em outubro e os reajuste de 10% no auxílio alimentação serão repassados a partir de janeiro de 2016



1.jpg
Reajuste será publicado na edição de hoje (13) do Diário Oficial do Município, que começa a circular amanhã
13/07/2015 às 21:04

O prefeito Artur Neto (PSDB) sancionou, na noite desta segunda-feira (13), a proposta de reajuste de 9,5% da data-base dos salários dos professores da Secretaria Municipal de Educação (Semed). O projeto de lei foi aprovado poucas horas antes pelos vereadores na Câmara Municipal de Manaus (CMM), logo após o retorno do recesso parlamentar.

De acordo com o prefeito, o documento vai ser publicado no Diário Oficial do Município (DOM) desta segunda-feira, na versão on line, e vai circular na versão impressa nesta terça-feira (14). O reajuste de 9,5% será repassado de forma parcelada, sendo que os primeiros 4% serão pagos nos vencimentos de julho, retroativos ao vencimento do mês de maio.

Os demais 5,5% serão pagos em outubro e os reajuste de 10% no auxílio alimentação serão repassados a partir de janeiro de 2016. Com o aumento, 15.255 servidores da rede municipal de ensino são beneficiados, dos quais 12.485 são professores.

“Em tempos de crise, quando vemos que muitas administrações estaduais e municipais sequer deram qualquer aumento, podemos dizer que a Prefeitura de Manaus dá exemplo de como se organizar para não deixar os profissionais da educação sem reajuste. Estamos fazendo um esforço enorme no sentido de melhorar a educação. Temos que pisar no chão e ser realistas. O País inteiro passa por dificuldades, então fazemos aquilo que está dentro de nossas possibilidades”, afirmou o prefeito.

Segundo a Semed, atualmente, o professor que leciona 40 horas semanais recebe um vencimento de R$ 2.945,32 e o de 20 horas R$ 1.472,66, ambos recebem, ainda, mais 10% de regência de classe, além de vales alimentação e transporte. Estes valores serão reajustados conforme o calendário já repassado aos profissionais.

A prefeitura reforça que todas as negociações com os servidores municipais foram acompanhadas pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam).

Na CMM, o projeto foi aprovado sob protestos de aproximadamente 50 professores, e contrários ao reajuste de 9,5%, vinculados à Associação Movimento de Luta dos Professores de Manaus (Asprom).

*Com informações da assessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.