Publicidade
Manaus
POLÍTICA

Artur turbina quase R$ 500 mil em gastos com novos assessores para vice Marcos Rotta

Em projeto de lei aprovado na CMM, tucano estabelece cargos com salários até R$ 14 mil. Prefeito alega que atual estrutura do gabinete do vice apresenta "limitações" 03/01/2018 às 10:06 - Atualizado em 03/01/2018 às 10:07
Show artur
Foto: Arquivo/AC
Janaína Andrade Manaus (AM)

Em ano de eleições gerais, o prefeito Artur Neto (PSDB), turbinou em quase meio milhão de reais os gastos com assessores para atuar no gabinete do vice-prefeito, Marcos Rotta (PSDB). Para reforçar a musculatura do gabinete de seu braço direito, o tucano, em projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal de Manaus no final de dezembro, estabelece cargos com salários de até R$ 14 mil.

Na justificativa da proposta assinada no dia 15 de dezembro, o prefeito Artur Neto (PSDB) explica aos vereadores que a atual estrutura administrativa do gabinete do vice apresenta limitações, “razão pela qual demanda o referido ajuste”.

O reforço na equipe, argumenta Artur, vai “fortalecer as estruturas destinadas à implementação de políticas para comunidades rurais mediantes a criação de área específica para identificá-las, além de elaborar agenda de visitas, promover oficinas e criar espaços para o desenvolvimento de uma rede de atendimento/parcerias”.

Com a nova configuração, o gabinete do vice-prefeito passa a contar com 28 cargos em comissão e seis funções gratificadas. Até então, Rotta possuía a sua disposição seis gerentes, com a aprovação da proposta terá 10 gerentes com salários de R$ 3.243 e seis diretores e assessores DAS-3, com salários de R$ 6.615 cada, sendo dois no cargo de “diretor de departamento”, um assessor de comunicação e três assessores técnicos I. E um secretário executivo com salário de R$ 14 mil.

Há ainda três chefes de divisão, com remuneração de R$ 4,6 mil, cada; e dois assessores técnicos nível 2, com salário de igual valor; dois assessores I com remuneração de R$ 2,6 mil; dois assessores II com salário de R$ 2,3 mil e um assessor III – com salário de R$ 1,3 mil.

Os custos com o gabinete do vice-prefeito saem de R$ 1,7 milhão por ano para mais de R$ 2,5 milhões no orçamento do Poder Executivo Municipal. O ajuste na equipe de Rotta ocorre em meio ao ensaio do prefeito Artur Neto para ser o nome do PSDB como pré-candidato da legenda à Presidência da República, em 2018.

Publicidade
Publicidade