Publicidade
Manaus
URBANISMO

Europeu desenvolve novos conceitos sobre 'cidades inteligentes'

Carlos Rodolfo Sandrini divulgou, na última semana, um artigo no qual destaca as principais características de uma cidade verdadeiramente inteligente 18/06/2017 às 08:10
Show aplicativo
Após lançado pela prefeitura para ajudar usuários de ônibus não foi aprovado (Aguilar Abecassis)
Isabelle Valois Manaus (AM)

O arquiteto e urbanista europeu Carlos Rodolfo Sandrini divulgou, na última semana, um artigo no qual destaca as principais características de uma cidade verdadeiramente inteligente. Especialista no tema, ele afirma que os serviços públicos devem estar conectados, usando energia limpa, reaproveitando água, tratando o lixo, compartilhando produtos, serviços e espaços, bem como oferecer aos cidadãos deslocamentos fáceis e atendimento de qualidade. Em outra ponta, a cidade inteligente deve criar laços culturais que unam os habitantes, propiciando desenvolvimento econômico e melhoria da qualidade de vida de toda a coletividade.

Em Manaus, quase nada disso é visto na proposta apresentada na eleição de 2016 pelo prefeito reeleito Arthur Neto (PSDB). Sandrini afirma que mais do que investimentos, a cidade necessita de iniciativas inteligentes dos poderes. “Em busca do status de Smart City, cidades de todas as regiões do planeta irão investir entre US$ 930 bilhões e US$ 1,7 trilhões ao ano até 2025”, estima Rodofo Sandrini.

Conforme o Rodolfo Sandrini, que é presidente do Centro Europeu de Arquitetura e Urbanismo, o programa Cidades Inteligentes precisa também seguir o desejo da população, que tem adotado os conceitos e tecnologias sustentáveis, como também a inclusão urbana do que o isolamento das periferias; educação agregadora para evitar a radicalização; foco total na educação presencial e inclusiva até os 18 anos; além do planejamento urbano que contemple os espaços para ensino e educação, que hoje não é apenas uma questão exclusivamente acadêmica.

“Com essas novas características, as cidades inteligentes terão um aumento da oferta de emprego nos setores públicos, de hospitalidade e, principalmente, da economia criativa, área que tem crescido exponencialmente, tendo como processo principal o ato criativo e resultando, entre outros, na transformação da cultura local em riqueza econômica”, reforçou no artigo publicado em revistas especializadas.

InclusãoPara o especialista europeu, essa evolução social e cultural promete gerar novos desejos, ideias de inclusão, aproximação, conectividade, relacionamento e compartilhamento. “As novas tecnologias vão permitir, ainda, que as pessoas possam trabalhar em casa, além de não precisarem se deslocar para adquirir o básico ou resolverem problemas burocráticos”, supõe o especialista.

Temática foi bandeira de Arthur Neto

O prefeito Arthur Neto (PSDB)prometeu, durante a campanha eleitoral do ano passado, interligar todos os serviços da prefeitura e os mais de 800 prédios públicos da administração municipal a um moderno sistema de tecnologia da informação, o que até hoje não saiu do papel.

O programa apresentado ao eleitor manauense contemplaria todos os serviços de interesse da população, como saúde, educação, transporte e trânsito, planejamento, gestão, finanças públicas e ordenamento urbano.

Para ajudar todo este desenvolvimento, em promessa o prefeito garantiu um dos mais modernos e poderosos data centers do Brasil, com a implantação de uma fibra ótica, que também ainda não tem previsão de entrada em funcionamento.

O plano de governo de Artur Neto contava com uma série de medidas nas áreas de saúde, infraestrutura urbana, educação, trânsito, geração de emprego e renda, limpeza pública, saneamento básico, iluminação pública e meio-ambiente.

Conceito inspirador

O tema “Cidade Inteligente” foi um dos temas debatidos pelos candidatos à Prefeitura de Manaus na eleição de 2016. Esse conceito pode ser um meio de solução para muitos problemas de uma cidade e deve proporcionar um desenvolvimento econômico e melhoria de qualidade de vida.

Publicidade
Publicidade