Terça-feira, 21 de Janeiro de 2020
GREVE

'As faltas foram dentro da normalidade', diz SSP-AM sobre paralisação de PMs

A secretaria não divulgou os números dos profissionais faltosos, apenas afirmou que os serviços aconteceram dentro da normalidade



PM_3.JPG A SSP-AM disse que não haverá descontinuidade no serviço da polícia militar (Foto: Divulgação/SSP-AM)
15/03/2018 às 08:46

A Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM) informou na manhã desta quinta-feira (15) que as faltas dos praças da Polícia Militar durante paralisação na noite de ontem (14) em Manaus foram "dentro da normalidade". O órgão destacou que a própria PM contabilizou a normalidade no serviço, mas não divulgou números sobre os profissionais faltosos.

O vice-governador e o titular da SSP-AM, Bosco Saraiva, afirmou que o patrulhamento na cidade aconteceu de forma natural. Segundo ele, o que "assombrou" a população foram as notícias falsas. "O patrulhamento transcorreu normalmente, lamentavelmente muitos fakes causaram um assombro a população. A Ufam suspendeu as aulas, outras universidades também. A população ficou assustada, mas tivemos uma noite relativamente tranquila com o patrulhamento na rua. Não houve greve de ônibus ontem e nesta manhã os rodoviários saíram para trabalhar normalmente", disse o secretário.



A assessoria de imprensa da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) negou a informação repassada pelo vice-governador e titular da SSP, Bosco Saraiva, de que as aulas foram suspensas.

Bosco ainda destacou que "não haverá descontinuidade no serviço da Polícia Militar". "Temos um plano de contingência, capaz de deixar a população absolutamente tranquila. Não haverá descontinuidade do serviço da Polícia Militar, porque o próprio Comando, de uma forma muito tranquila, trabalhou para que os policiais continuassem nas ruas", comentou o vice-governador.

Reivindicações

Sobre o pagamento da data base dos policiais militares, o secretário da SSP-AM, afirmou que os valores sairão até 4 de abril. "A data base da polícia será dada até o dia 4 de abril. Isso já foi anunciado pelo governador do Estado do Amazonas, além de outros benefícios que foram efetivamente materializados, como promoções, auxilio alimentação, fardamento e moradia", ressaltou.

Reunião com ministro

Bosco também relatou que participará de uma reunião com o ministro de segurança, Raul Jungmann. "A reunião com o ministro da segurança se dará com todos os secretários do Brasil, e seguramente nós traremos bons frutos a partir da reunião que o governador Amazonino participou na semana passada lá no ministério. Vamos apresentar um plano para a segurança do Amazonas", comentou o secretário.

Registro de faltas

A reportagem de A CRÍTICA percorreu nessa quarta-feira (14) Cicoms e Força Tática para apurar a movimentação nos locais. Pelo menos 40 policiais faltaram o serviço na noite de ontem aderindo à paralisação. Houve registro de faltas nas 26ª, 6ª e 30ª Companhias Interativas Comunitárias (Cicom) nas duas áreas.


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.