Publicidade
Manaus
Assalto com reféns

Assaltantes fazem reféns durante assalto na Zona Leste de Manaus

O assalto começou por volta das 12h na sede de uma associação comunitária do bairro 28/03/2013 às 19:38
Show 1
Momento em que um dos assaltantes se entrega à polícia
Evelyn Souza Manaus

Cinco pessoas foram feitas reféns durante uma tentativa de assalto, na manhã desta quinta-feira (28/03), no bairro Colônia Antônio Aleixo, Zona Leste de Manaus. Uma das vítimas teve ferimentos leves na cabeça. Duas pessoas foram presas após se entregarem. Fabrício Albarado Jardim, 22, Rallys Moura Pereira, 25 foram encaminhadas ao 14 Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde serão autuados em flagrante por roubo qualificado, cárcere privado e porte ilegal de arma de fogo.


Os assaltantes invadiram a sede da Associação dos Moradores e Amigos do Complexo Colônia Antônio Aleixo, onde funcionava um posto do banco Bradesco, por volta de meio- dia e exigiram a presença da imprensa. Eles estavam armados com pistolas calibre 380. Policiais da 28ª Compania Interativa Comunitária (Cicom) se deslocaram para a área e iniciaram as negociações com os criminosos.

Das cinco pessoas que estavam no local, três foram liberadas uma hora depois, sendo dois homens e uma mulher. Um dos reféns que foi liberado é Billy Gran Guimarães, 27. Ele é deficiente auditivo. De acordo com informações da polícia , a  mulher que também foi mantida refém levou uma coronhada na cabeça de um dos criminosos e, ao sair do local , desmaiou e foi  amparada por socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência(Samu) para ser encaminhada ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) mais próximo.  De acordo com moradores, este seria o terceiro assalto ao local em menos de quatro meses.

A polícia isolou a rua Getúlio Vargas, a via principal do bairro. Além de homens da 28ª Cicom, policiais da Força Tática, Grupo Fera e Rocam também estiveram na ocorrência.  Muitos curiosos acompanham as negociações.


Por volta de 13h30, mais um refém foi liberado, uma mulher. A dupla pediu a presença de uma mulher identificada pela polícia apenas como Michele e que suspotamente seria esposa de um dos assaltantes. A mulher colocou um colete à prova de balas.  A negociação foi acompanhada pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos advogados do Brasil secção Amazonas (OAB-AM), Epitácio Almeida.

Publicidade
Publicidade