Publicidade
Manaus
SEM CONTROLE

Deputado Platiny Soares emprega toda a família do chefe de gabinete

Seis pessoas da mesma família, três delas com residência no Rio de Janeiro, ocupam cargos no gabinete do deputado estadual 11/07/2017 às 05:00
Show platiny
Deputado Platiny Soares confirma em áudio obtido pela reportagem que Ruan Alves de Araújo é seu chefe de gabinete. Foto: Arquivo AC
Janaína Andrade Manaus (AM)

Cinco parentes do chefe de gabinete do deputado Platiny Soares (DEM), Ruan Alves de Araújo, foram contratados pela Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) há seis meses para cargos comissionados na cota de assessores do parlamentar. Ganhando salários de cerca de R$ 2,1 mil, pelo menos três desses familiares moram no Rio de Janeiro, segundo informações dos seus perfis no Facebook.

Dos quadros da Polícia Militar do Amazonas, Ruan de Araújo é natural do Rio de Janeiro. Foram nomeados para o gabinete de Platiny o pai dele, Joaquim Alves de Araújo; a mãe, Rosângela Freire; e os irmãos Ruany, Roberta e Renato Alves de Araújo. A nomeação de todos eles foi publicada na edição do Diário Oficial da ALE-AM do dia 31 de janeiro deste ano, mesmo dia em que o chefe de gabinete foi premiado com o aumento de sua gratificação.

No Diário Oficial da ALE-AM, os cinco parentes de Ruan foram nomeados para os mesmos cargos de confiança – APC 1 (Assistente de gabinete parlamentar), com remuneração de R$ 937 mais o ticket alimentação no valor de R$ 1,2 mil (benefício que é depositado na conta dos servidores da ALE-AM)  totalizando R$ 2,1 de salário ao mês. Na mesma edição, Ruan tem o percentual da gratificação legislativa elevado para 94,67%, a contar de 1° de dezembro de 2016.

O chefe de gabinete, além do salário de R$ 3 mil, somado ao ticket alimentação de R$ 1,2 mil, com o aumento da gratificação passou a receber R$ 7 mil. Nas redes sociais, Ruan aparece na foto de perfil ao lado da mãe, Rosângela e nos membros de família identifica o pai – Joaquim. No Facebook, o pai de Ruan tem dois perfis. Num deles, Joaquim informa morar no Rio de Janeiro e que “trabalha na empresa aposentado – INSS”.

Ruany Alves de Araújo aparece em fotografias de seu perfil do Facebook passeando na praia com seu cachorro no dia 20 de abril deste ano – quatro meses após ter sido nomeada para o cargo de assessora parlamentar comissionada do gabinete de Platiny. Ruany é pedagoga e se formou por uma instituição no Rio de Janeiro, segundo sua conta nas redes sociais.

Irmã de Ruan e de Ruany, Roberta Alves de Araújo postou imagens nas redes sociais à beira do mar no Rio de Janeiro.

O perfil de Renato Alves de Araújo, irmão do chefe de gabinete de Platiny, no Facebook, informa que ele é natural do Rio de Janeiro e que reside na cidade de mesmo nome. Ele também aparece em fotos na praia com os filhos e em nenhum momento cita, na rede social, algum dado sobre trabalho ou locais na capital amazonense que frequente ou já tenha frequentado.

Ao ser questionado pela reportagem, por telefone, Ruan de Araújo disse que não era mais chefe de gabinete de Platiny, mas não soube dizer a partir de que data saiu da função. Ele confirmou a contratação dos parentes. Porém disse que eles moram em Manaus.

Confidencial

Entretanto,  documento confidencial da ALE-AM que a reportagem teve acesso, mostra que Ruan é chefe de gabinete do 1° secretário geral da Mesa Diretora da Casa, o deputado Platiny Soares. Mas na rede social de negócios - LinkedIn, Ruan informa ser “chefe de gabinete do deputado Platiny” de fevereiro de 2015 até o momento. Até a semana passada, o policial possuía perfil no Facebook com o nome “Ruan Alves de Araújo”; nesta semana o perfil não foi mais encontrado no campo de buscas e nem por meio das redes sociais dos pais e irmãos.

Providências

O diretor-geral da ALE-AM, Wander Motta, não respondeu que providências adotará sobre as contratações de familiares do chefe de gabinete de Platiny.  “A frequência dos servidores dos gabinetes  é responsabilidade de cada gabinete, que encaminham mensalmente ao DRH da ALE a informação da frequência de todos os servidores”.

Platiny Soares, deputado estadual

“Tenho  conhecimento de todas  as contratações feitas para ocupação de cargo em meu gabinete. Sendo os funcionários de minha extrema confiança. Todos os funcionários contratados para contribuir com meu mandato desenvolvem diariamente as atividades por mim demandadas, frequentando não só o gabinete, mas todos os locais externos nos quais exercemos atividades parlamentar. Quanto às informações contidas nas redes sociais de meus funcionários, destaco que não tenho qualquer responsabilidade, por se tratar de algo completamente pessoal. A falta de atualização das mesmas não diz respeito a mim. Vale lembrar que os mesmos são naturais do Estado do Rio de Janeiro, podendo utilizar nas redes sociais o endereço que bem entenderem. Não constatando qualquer prejuízo ao trabalho público que desenvolvo, não vejo motivos para modificar a estrutura funcional do gabinete. Lembrando que nenhum dos assessores por mim contratados  figuram como meus parentes diretos ou indiretos, o que descaracteriza a possibilidade de nepotismo.  Já Ruan Alves de Araújo é lotado como APC 13, cargo que não possui relação com direção ou chefia. O fato novamente afasta a relação de nepotismo”.

Casa se recusa a publicar folha nominal

A Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) é um dos poucos órgãos no Amazonas que se recusam a publicar na internet a folha de pagamento nominal dos servidores, com salários e funções.

Além da Casa Legislativa, a Prefeitura Municipal de Manaus (PMM) também vem se negando a respeitar a Lei da Transparência e publicar essa informação.

Em fevereiro de 2017, em entrevista à imprensa, o então presidente da ALE-AM, hoje governador do Estado, deputado David Almeida (PSD), renovou o juramento de reforçar o processo de transparência das contas da Casa, divulgando não apenas os gastos com custeio, mas também com folha de pagamento. “Vamos estipular um prazo para publicar tudo isso”, disse à época.

Assim como no caso de seus antecessores à frente da presidência da ALE-AM - deputado Ricardo Nicolau (PSD), que se negou a publicar a informação e Josué Neto (PSD), que também só ficou no campo das promessas quanto à publicação da folha de pagamento dos servidores, o deputado Abdala Fraxe (PTN) segue os mesmos passos e mantém essa informação - que é pública, guardada a sete chaves.

Na contramão da ALE-AM e da prefeitura, o governo do Estado, o Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), Câmara Municipal de Manaus (CMM), Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) já disponibilizam a folha de pagamento dos servidores em seus portais.

Assessor acusa deputado em áudio

A reportagem de A CRÍTICA teve acesso a uma gravação em áudio na qual o servidor do gabinete de Platiny,  por nome  Fabrício,  acusa o deputado  de favorecer Ruan de Araújo com a nomeação de pelo menos seis dos parentes dele.

“Tem alguém aqui no teu grupo que é mais importante pra ti? Quantos parentes meus estão nomeados aqui? E você me disse: No dia em que eu estiver lá (ALE-AM) eu vou pegar (contratar) um parente teu para te ajudar! Até hoje eu não tenho, e o Ruan tem bem uns seis parentes aqui, sete, não sei”, questiona Fabrício.

Platiny responde: “Chuta quantas pessoas o Ruan tem no meu gabinete...o Ruan não tinha nenhuma pessoa nomeada aqui, até que um dia ele me perguntou: eu posso tirar R$ 800 do meu salário, aí tu nomeia a minha mulher? A Priscila (esposa de Ruan) veio pra cá um dia desses. O que ela usou na nossa campanha não foi brincadeira, não, o que a família dela se empenhou na campanha também não foi brincadeira. Ela foi muito guerreira. Não existe aqui uma diferença de pessoas, existe aqui uma diferença da função que a pessoa ocupa, o Ruan é meu chefe de gabinete, cara! Tu não acha que se tu fosse meu chefe de gabinete tu não teria um upgrade? Então...”, finalizou Platiny.

 

 

Publicidade
Publicidade