Publicidade
Manaus
Manaus

Até onde iria o segundo túnel feito pelos detentos no Compaj?

Na próxima semana, uma equipe da Seap fará um levantamento para saber se o túnel encontrado na última quinta (28) chegaria até a mata 31/01/2016 às 15:57
Show 1
O segundo túnel descoberto no Compaj em questão de dias foi encontrado no início da noite de quinta-feira (28) após um dia inteiro de trabalho de agentes e policiais
Kelly Melo Manaus (AM)

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) vai iniciar escavações na área externa do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no km 8 da BR-174, a partir da próxima semana. O objetivo, segundo a secretaria, é descobrir em que local os detentos pretendiam chegar com a construção de um segundo túnel, descoberto na noite da última quinta-feira (28).

O secretário da Seap, Pedro Florencio, informou que esteve no presídio e conversou com a direção da empresa Umanizzare, responsável pela administração da unidade. A partir da próxima semana, eles devem providenciar as máquinas que vão escavar pela área externa para identificar em qual direção o túnel seguiria.

De acordo com o coordenador do Sistema Penitenciário (Cosipe), Lima Júnior, uma das suspeitas é de que  o segundo túnel poderia chegar até a mata, atrás do Compaj. “A mata seria o local mais próximo e mais estratégico pra essa saída”, explicou.

Rebelião

Para o secretário da Seap, Pedro Florencio, uma das principais preocupações, nesse momento, é manter a tranquilidade e a ordem na unidade prisional e evitar uma rebelião. “A situação é preocupante porque amanhã (hoje) é dia de visita e precisamos abrir a cadeia para as famílias. O clima está tenso e já pedimos o reforço da Polícia Militar para garantir a segurança”, destacou ele.

O segundo túnel foi encontrado no início da noite da última quinta-feira, embaixo de uma das camas da cela 3, na ala 1, do pavilhão 1, durante a revista realizada em parceria com a Polícia Militar  e a empresa terceirizada que administra o presídio.

A extensão do túnel não foi medida porque  o buraco foi inutilizado assim que descoberto pelos agentes. Os 20 presos que moravam na cela foram transferidos para outras do seguro, isolamento e celas de visitas íntimas. “O pavilhão 1 e 3, onde os túneis foram encontrados, estão temporariamente isolados até fecharmos totalmente esses buracos. O primeiro túnel foi fechado na quinta mesmo”, disse.

Ainda conforme o secretário, o barro retirado das escavações foi utilizado em construções de camas. “A camatinha uma camada fina de cimento e dentro dela estava o barro”, explicou ele, que acredita que os túneis foram cavados há pelo menos seis meses. “Nós proibimos a entrada de qualquer tipo de material de construção há 3 meses e por isso, não existe a possibilidade dessa construção ter sido feita recentemente”, afirmou.

Túneis descobertos

Na última quinta-feira (28), um túnel de 20 metros de extensão foi encontrado em uma das celas do pavilhão 3 do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), após uma revista na unidade.

Fuga em massa

Com a descoberta do segundo túnel, também na quinta (28), a Seap acredita que pelo menos a metade dos detentos fugiriam da unidade pelas escavações. Segundo as investigações do Departamento de Inteligência (Dipen), a fuga em massa aconteceria neste finalde semana.

Até onde iria o segundo túnel feito pelos detentos no Compaj?

Publicidade
Publicidade