Quarta-feira, 29 de Janeiro de 2020
LUTO EM DOBRO

Até outubro, 113 pessoas foram enterradas como indigentes, aponta IML

Do total de corpos sepultados sem identificação, 101 eram do sexo masculino e nove do sexo feminino. Dos restantes, não foi possível fazer a distinção



images__33__60C71DD5-233E-4456-BC23-ED03DDEB3682.jpg Foto: Arquivo AC
17/12/2019 às 11:36

Neste ano, 113 pessoas foram enterradas como indigentes em Manaus, conforme informações do Instituto Médico Legal (IML), do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC).

O período para identificação de um corpo é de até 30 dias e, passado esse tempo, um serviço funerário é disponibilizado em parceria com a Prefeitura de Manaus, caso nenhum familiar compareça ao órgão.
De acordo com a diretora do IML, Sanmya Leite, o processo de identificação passa por vários métodos, como amostras de DNA, odontologia legal e necropapiloscópia (identificação humana através de impressões digitais), entre outros.

Esses procedimentos ajudam as famílias que já tiveram algum parente enterrado como indigente. Neste caso, é necessário ir ao instituto, na avenida Noel Nutels, Cidade Nova, na zona norte, para dar entrada nos processos de identificação para comparar com as amostras existentes.



“O primeiro passo é ir ao IML e procurar o setor psicossocial. Lá, eles vão fazer uma entrevista, mostrar fotografias e fazer comparações com os corpos que estão lá”, afirmou.

Do total de corpos sepultados sem identificação, 101 eram do sexo masculino e nove do sexo feminino. Dos restantes, não foi possível fazer a distinção.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.