Publicidade
Manaus
Manaus

Atenção e cuidado: mulheres são alvos fáceis para assaltantes

Sem citar números, delegado confirma que assaltos com vítimas mulheres aumentaram. Elas são consideradas por assaltantes como frágeis e de fácil domínio 29/08/2015 às 14:56
Show 1
Delegado Adriano Felix orienta que mulheres tenham mais atenção ao chegar ou sair de casa, e que evitem andar sozinhas
Joana Queiroz ---

Mulheres se tornaram presas fáceis de criminosos na prática de assaltos. De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (DERF) Adriano Félix, sem citar números, os assaltos tendo como vítimas as mulheres aumentaram e ele acredita que, por considerá-las frágeis e de fácil domínio, é o que têm motivado os criminosos. Só na última semana, pelo menos quatro mulheres foram vítimas.

Os assaltos deixam as mulheres ainda abaladas emocionalmente e muitas preferem nem lembrar ou falar sobre o ocorrido. É o caso de uma funcionária pública que foi atacada por ladrões na saída de uma igreja na área do bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste, na qual levaram o carro dela.

A mulher preferiu não revelar o nome. Ela  recuperou o carro na quinta-feira passada, mas o emocional ainda está abalado. Disse que preferia não falar mais sobre o que passou “Eu não estou nem conseguindo dormir”, disse. Segundo ela, o trauma é grande, e que se sentiu desprotegida e à mercê da violência.

 A experiência traumática também aconteceu com a administradora Fernanda Freitas (nome fictício) que foi arrastada de dentro do seu carro por um assaltante. O bandido colocou uma arma na sua cabeça e a obrigou a entregar a chave de seu carro. De acordo com ela, o assalto ocorreu por volta das 18h, em uma rua principal de Flores, próximo ao conjunto Maracanã.

Fernanda disse que voltava para casa e acompanhada por um amigo.  A administradora passava por uma rua movimentada e com iluminação, quando de repente outro carro parou ao lado do carro dela, desceu um rapaz e ele encostou uma arma em sua cabeça mandando que ela descesse do carro e entregasse a chave, sem acreditar que o que estava acontecendo era verdade ela demorou a sair.

O amigo que estava no carro conseguiu sair e levar a bolsa dela.  Os ladrões fugiram deixando o carro em que estavam no local. O carro dela foi localizado na mesma noite na avenida Djalma Batista. No interior do veículo havia muita embalagem de droga, mais de 15 chips de celular e garrafas de bebidas alcoólicas.

Amanda (nome fictício) foi mais uma vítima da violência dos assaltantes. Na última segunda-feira, quando chegava em casa, por volta das 21h, foi abordada por três assaltantes. Ele jogou a bolsa, o celular e demais pertences no chão e correu para pedir ajuda. Os ladrões pegaram a chave do carro dela e tentaram sair, mas não conseguiram fazer o veículo funcionar. 

Amanda foi pelos fundos da casa começou a gritar pedindo ajuda, e conseguiu chamar a atenção dos vizinhos que também passaram a gritar. Os ladrões deixaram o carro e fugiram a pé.  Até ontem ela ainda estava abalada e temendo que os ladrões voltem para assaltá-la.

Mulheres dever ter atenção redobrada

O delegado da DERF, Adriano Félix, disse que os ladrões não escolhem apenas as mulheres para assaltar, mas que eles olham as vítimas mais vulneráveis. Ele ressalta que é necessário que o cidadão fique mais atento quando estiveram transitando em via pública e não deixem bolsas e celulares à vista para não chamar a atenção dos bandidos.

Para o delegado, a mulher por si só é mais vulnerável e por conta disso,  quando veem uma mulher sozinha, para eles se torna um alvo mais fácil para abordá-la. “Isso não quer dizer que apenas mulheres são assaltadas. Eu, como delegado da DERF, posso falar com propriedade, a todo momento os bandidos estão entrando em residências”, afirmou Félix.

O delegado orienta que as mulheres tenham sempre uma película nos vidros do seu veículo e ter  atenção redobrada, observar qualquer movimento estranho.

Publicidade
Publicidade