Publicidade
Manaus
Manaus

Ato contra a violência contra a mulher é realizado nesta quinta (16) na frente do MPF

O evento busca chamar a atenção da sociedade para os recentes episódios nacionais em que a violência contra a mulher foram explicitamente estimulada 16/12/2014 às 21:42
Show 1
A concentração do ato se inicia às 8h, no estacionamento da Sefaz/AM
ACRITICA.COM Manaus (AM)

O Fórum Permanente de Mulheres de Manaus (FPMM) realizará o 'Ato pela mulher, Contra a Violência' na próxima quinta-feira (18), a partir das 8h, em frente à sede do Ministério Público Federal (MPF), localizado na avenida André Araújo, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus. O evento busca chamar a atenção da sociedade para os recentes episódios nacionais em que a violência contra a mulher foram explicitamente estimulada.

As 40 instituições que compõem o Fórum protocolarão carta de repúdio no Ministério Público contra a fala do deputado federal Jair Bolsonaro, na semana passada no Congresso Nacional, quando o mesmo, se dirigindo à também Dep. Federal Maria do Rosário disse “Não estupro você porque você não merece”.

A concentração do ato se inicia às 8h, no estacionamento a Secretaria do Estado da Fazenda do Estado do Amazonas (Sefaz/AM), que fica nas proximidades da sede do MPF.

Após a carta ser protocolada, haverá uma intervenção urbana na passarela que corta a Av. André Araújo (em frente ao bloco de prédios que compõem aquele trecho), com a exposição e uma faixa de 20 metros, para chamar a atenção da sociedade sobre o tema. A intervenção está prevista para ter início às 10h.

O ato busca provocar reflexão na sociedade amazonense acerca dos alarmantes números que configuram a violência cometida contra as mulheres no país. Dados publicados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública reforçam que o país convive com taxas absurdas, que naturalizam mais de 53 mil crimes violentos letais e 50 mil estupros registrados em 2013 no Brasil, isso sem falar nos casos não registrados.

No Amazonas, de acordo com dados da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), até agosto de 2014 foram registrados 1.580 casos de violência doméstica e familiar.

O Fórum

O FPMM surgiu numa necessidade de articular os diversos movimentos, grupos de mulheres para eleição do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres - CMDM. Foi feito na época o mapeamento dos grupos e movimentos existentes na cidade de Manaus.

Suas principais lutas são: fomentar a rede de comunicação e articulação para o intercâmbio, mapeando os grupos e movimentos de mulheres; luta pela efetiva implementação da Lei Maria da Penha no Estado do Amazonas, organizando um seminário sobre a Lei 11.340/06, visando à construção de uma rede de enfrentamento à violência contra a mulher (incluíndo uma casa-abrigo); visibilizar e valorizar a diversidade cultural; promover a capacitação e formação de multiplicadoras de gênero e políticas públicas para mulheres; lutas feministas nacionais e internacionais no enfrentamento a violência contra mulheres; luta em defesa da municipalização dos serviços de abastecimento de água na Cidade de Manaus; enfretamento ao trafico de meninas e mulheres, violência sexual e domestica.


Publicidade
Publicidade