Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
Manaus

Ato em protesto binacional tenta alertar a importância da punição para crimes de trânsito

Resultado do protesto Binacional a favor da punição nos crimes de trânsito ciclistas de Manaus colocam faixas em avenida para que a sociedade reflita e passe a adotar uma postura mais ativa frente ao Poder Público, que tem a obrigação de proporcionar segurança a todos os usuários das vias públicas.



1.jpg Ciclistas colocam faixas e alertam a sociedade,
27/02/2016 às 19:09

Quem passa na avenida Djalma Batista, Zona Centro-Sul de Manaus, no sentido bairro, tem a possibilidade de ver uma placa de alerta aos motoristas sobre o cuidado e respeito com o ciclistas, colocada na passarela próximo ao colégio Idaam. Este ato foi uma das atividades realizadas no protesto Binacional a favor da punição nos crimes de trânsito, que ocorreu nesta sexta (26). Mais de 50 ciclistas de Manaus participaram do movimento que surge da inquietação social quanto ao tratamento que é dispensado aqueles que “matam no trânsito”.

O evento foi realizado em várias cidades do Brasil, Montevidéu e Salto e lançou os questionamentos como “CNH – licença para matar?” (Carteira Nacional de Habilitação), por causa da forma com que a legislação pune aqueles que assumem o risco de produzir ao assumir o volante com sono, embriagado, falando ou teclando ao celular, além de outras circunstâncias.

Para os ciclistas a idéia foi de fazer com que a sociedade reflita a respeito, tire as conclusões e passe a adotar uma postura mais ativa frente ao Poder Público que tem a obrigação de proporcionar segurança a todos os usuários das vias públicas.

“As mortes recentes de ciclistas em todos os cantos do país motivadas pela irresponsabilidade de motoristas que se beneficiam da pouca efetividade e ausência de eficácia das leis brasileiras não podem ficar impunes. São vidas que se perdem, são famílias que choram, são filhos que ficarão desamparados, é a banalização da vida que não pode ser tratada pela sociedade como normal”, disse um dos coordenadores do movimento Pedala Manaus, que apoio o protesto, Paulo Aguiar.

Em todas as cidades envolvidas no protesto foi lembrado mortes de ciclistas. Em Manaus, foi lembrado no ato o triatleta Eldes Aymoré que morreu quando treinava no dia 31 de janeiro, na rodovia Manoel Urbano e os três últimos casos que ocorrem em 2015 nas ruas de Manaus, como foi de Antônio Simão, Jhon Wesley e Patrick Silva.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.