Publicidade
Manaus
PROTESTO

Ato 'Fora Temer - Manaus' reúne manifestantes no Centro neste sábado

Cerca de 250 manifestantes se reuniram no Largo de São Sebastião, bairro Centro, Zona Sul, no segundo evento da capital amazonense contra a posse de Michel Temer (PMDB) 03/09/2016 às 19:41 - Atualizado em 03/09/2016 às 20:20
Show whatsapp image 2016 09 03 at 19.24.47
Organizadores afirmaram que o ato não significa uma defesa de Dilma Rousseff, mas sim uma crítica ao processo de impeachment / Foto: João Pedro Figueiredo
Lucas Jardim Manaus (AM)

Neste sábado (3), cerca de 250 manifestantes se reuniram no Largo de São Sebastião, bairro Centro, Zona Sul de Manaus, no ato 'Fora Temer - Manaus', segundo evento marcado na capital amazonense em repúdio à posse de Michel Temer (PMDB) como presidente da República, oficializada na última quarta-feira (31).

Segundo uma das organizadoras do evento, a jornalista Macarena Mairata, o ato se diferencia de outros de natureza semelhante Brasil afora ao longo do processo de impeachment por não necessariamente defender o governo Dilma Rousseff.

"Não é um 'Fora Temer e Volta Dilma', ele não visa concordar com tudo o que o PT fez ao longo desses doze anos de mandato. Muitas pessoas acreditam que quem é a favor do 'Fora Temer' é a favor do PT ou é petista. Isso é mentira, isso é algo distorcido pela mídia hegemônica e por aqueles que não querem entender esse contexto político pelo qual o Brasil passa", explicou Macarena, que destacou o ajuste fiscal, a reforma previdenciária e o fim da educação superior gratuita como medidas discutidas por Temer prejudiciais à população de baixa renda.

Apesar da organização não necessariamente defender o governo do PT e a volta de Dilma, vários militantes petistas participaram do ato, bem como de outros partidos de esquerda, como o PCB e o PSOL, e vários movimentos da sociedade civil organizada, como a Frente Permanente de Mulheres de Manaus, que organizaram uma intervenção artística na qual as participantes queimavam os nomes de políticos, numa referência às mulheres queimadas nos períodos históricos de caça às bruxas.

Para Florismar Ferreira, uma das coordenadoras da Frente, os membros do Poder Legislativos estavam "matando a democracia, matando uma mulher" ao tomarem as ações que culminaram na perda do mandato de Dilma.

"Foi uma falta de respeito com 54 milhões de brasileiros que foram às urnas votar diretamente, uma falta de respeito com a democracia. Eu briguei pelas Diretas e agora estou brigando pela democracia", concluiu a manifestante.

Publicidade
Publicidade