Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2020
LUTA PELA CULTURA

Autoridades do Amazonas exaltam legado de Arlindo Júnior para a cultura

"A imagem que vai ficar é de um homem trabalhador, de um artista em serviço para ajudar na construção da história do Amazonas", disse o governador Wilson Lima



wilson_lima_245AFF3B-F07C-4474-B8AC-94B8B731D582.JPG Foto: Divulgação
30/12/2019 às 14:10

Além de deixar o legado como artista pela voz, performance e atuação nos palcos e em Festivais de Parintins, Arlindo Júnior também foi um defensor da cultura no âmbito político. Ele exerceu por quatro anos o mandado de vereador em Manaus, onde defendeu vários projetos de lei voltado ao seguimento.

Em clima de emoção, autoridades e políticos também despediram-se do artista e relembraram momentos que marcaram suas performances no boi-bumbá. A despedida acontece nesta segunda-feira (30) no Centro de Convenções Vasco Vasques, Zona Centro-Sul.



"O Arlindo Júnior tornou-se o símbolo da cultura no Amazonas, é uma perda muito grande para mim em particular, acompanhava o trabalho dele e por muitas vezes estive participando dessa luta que ele tinha contra o câncer. Todas as vezes que eu me encontrava com ele, via a disposição que ele tinha de lutar pela vida, então é essa imagem que vai ficar, de um homem trabalhador, de um artista  em serviço para ajudar na construção da história do Amazonas", afirmou o governador do Estado, Wilson Lima.

O senador Plínio Valério também esteve no velório e prestou sua última homenagem ao Pop da Selva. "Ele foi vereador de Manaus e eu também por quatro anos. Nós convivemos muito. Pude aprender com ele, assim como ensiná-lo, e nos tornamos amigos. Não estou como senador, mas representando a mim mesmo, lamentando a perda. Ele é ícone porque existe o bumbá de antes e depois do Arlindo, ele trouxe a cultura do boi-bumbá para capital transportando um novo estilo e nova forma que está aí hoje", comentou.

Outros nomes da política do Amazonas também estiveram presentes como os senadores Eduardo Braga e Omar Aziz. Eles ressaltaram a importância do trabalho realizado pelo Pop da Selva que iniciou na década de 90.

"Eu o conheci nessa época, em que ele surgia com uma nova dança, um novo espetáculo e isso acontecia na Djalma Batista. Era uma pessoa que ainda veio há 30 dias a minha residência, ainda esperançoso mas muito debilitado. As imagens que quero guardar dele são de alegria, foram poucas as vezes que eu o vi triste. Às vezes ele chorava na Arena, mas era por estar ali interpretando toadas maravilhosas", afirmou Aziz.

Arlindo Júnior também chegou a atuar à frente das secretarias municipal e estadual de Cultura. O senador Eduardo Braga também compareceu ao velório do artista no Vasco Vasques.

"O Amazonas perde um grande artista, apaixonado pelo o que fazia e também perde um homem público que sempre teve uma preocupação social e cultural com o Estado. Perdemos sem dúvida um grande amazonense, artista e amigo", comentou o senador.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.