Publicidade
Manaus
contra a violência

Av. Umberto Calderaro fica fechada por uma hora durante protesto contra a violência

'Sete horas, ninguém sai mais na rua. Se sai, fica sem o celular. Se não tem celular, tu morre', reclama uma das moradoras do Adrianópolis, presente no ato de protesto contra a morte de um jovem que reagiu a um assalto 02/08/2016 às 18:57 - Atualizado em 02/08/2016 às 19:33
Oswaldo Neto Manaus (AM)

O trânsito foi liberado após uma hora de protesto com fechamento da avenida Umberto Calderaro, na Zona Centro-Sul de Manaus, por volta das 18h15 desta terça-feira. O protesto pacífico foi contra a morte do vendedor de Carlos Eduardo Nascimento Normando, 23, ocorrido no último domingo (31). O homem foi morto após reagir a um assalto, na rua 2, bairro Adrianópolis, na mesma zona onde ocorreu o protesto.

O protesto, no horário de pico no trânsito, nas proximidades do cruzamento com a avenida Ephigenio Salles, causou congestionamentos nas vias próximas. Os manifestantes fizeram uma barreira com pneus e pedaços de madeira em chamas. Durante 45 minutos, as quatro faixas da via ficaram bloqueadas. A Polícia Militar acompanhou o ato. Após o protesto, os bombeiros retiram as cinzas do local.

"Mataram um amigo nosso. No bairro, está tendo muito assalto. Por isso fizemos essa manifestação. O bairro está sem proteção. Antigamente, a gente tinha o Ronda no Bairro e hoje já não tem. É difícil passar uma viatura e acontecem assaltos a toda hora", disse Juliana Oliveira, moradora da área.

"O que mais nos deixa revoltados é que ele foi morto em uma área cheia de órgãos públicos e não apareceu um policial, nem nada. Uns meses atrás, outro rapaz foi baleado lá. Sete horas, ninguém sai mais na rua. Se sai, fica sem o celular. Se não tem celular, tu (sic) morre", afirmou Sandra Oliveira, que também mora na região.

Morte

Na noite de domingo (31), o vendedor de cosméticos Carlos Eduardo Nascimento Normando foi assassinado com três tiros após reagir a um assalto na rua 2, Adrianópolis, Centro-Sul.

Segundo o irmão da vítima, Carlos Henrique, um homem em uma motocicleta foi o autor dos disparos. A vítima estava na companhia do irmão de 19 anos quando o suspeito anunciou o assalto.

O irmão relatou que o irmão mais novo correu e que Carlos Eduardo derrubou o suspeito da moto. Porém, o homem caiu e atirou na direção da vítima. O suspeito fugiu sem levar nada. O caso está registrado na DEHS.

Publicidade
Publicidade