Publicidade
Manaus
Manaus

Balsa com combustível explode à margem do Distrito Industrial 1 e deixa vítimas, em Manaus

A explosão causou tremores em diversos pontos da Zona Sul de Manaus, assustando a população. Marinha e Bombeiros demoraram quase 3 horas para controlar o fogo. Ainda não se sabe a causa do incidente, mas quatro pessoas teriam ficado feridas - uma em estado gravíssimo 27/11/2014 às 18:36
Show 1
Acidente causou explosão em balsa que transportava combustível, no Rio Negro, às margens do Distrito Industrial
perla soares Manaus (AM)

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS /CONFIRA VÍDEO

A balsa denominada São José 1, com cerca de 150 metros de comprimento, que transportava combustível pelo Rio Negro, explodiu na manhã desta quinta-feira (17), pouco depois das 9h, próximo à margem da Estrada do Marapatá, no Distrito Industrial 1, Zona Sul de Manaus. A explosão foi tão forte que pôde ser ouvida a quilômetros de distância, e o Corpo de Bombeiros e a Marinha do Brasil se esforçaram para controlar as chamas na embarcação.

Inspetores Navais do Grupo de Vistoria e Inspeção da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental passavam pelo local no momento do ocorrido e iniciaram os primeiros procedimentos. Ao todo, a Marinha contou com três lanchas, o Navio-Patrulha Fluvial “Amapá” e cerca de 30 militares no combate ao incêndio. A explosão também envolveu a balsa Concórdia Manaus, e aconteceu durante uma transferência de combustível de uma embarcação para a outra. 

A balsa transportava diesel S-10, mas não estava com os barris cheios. Com a explosão, três grandes destroços do barco foram "arremessados" para as águas, como uma parte que parece o convés, para mais de 100 metros de distância. A Marinha foi a primeira a chegar no local e dois barcos-reboques auxiliam no combate ao incêndio causado. Quase uma hora depois do incidente, os Bombeiros chegaram, e foram crucais no combate aos diversos focos de fogo.

De acordo com a assessoria de imprensa dos Bombeiros, quatro pessoas ficaram feridas e foram levadas para uma unidade improvisada do Serviço de Atendimento de Móvel de Urgência (Samu), na Bola da Suframa. Em seguida, os três homens que apresentaram ferimentos mais graves foram encaminhadas ao Hospital e Pronto-socorro 28 de Agosto, na Zona Centro-Sul da cidade.

Nilton Souza Freitas e Vanderli de Lima Carvalho, ambos de 32 anos, foram jogados no rio com a explosão, mas estão em condições estáveis (tiveram apenas traumas nos joelhos, pernas e pés) e devem receber alta hospitalar ainda nesta quinta-feira. Já Fernando Souza Figueiredo, 26, está em estado gravíssimo, com queimaduras de terceiro grau em 70% do seu corpo: face, tórax, abdômen e membros superiores. Ele ainda se encontra no centro cirúrgico da unidade.

Mergulhadores dos Bombeiros fiscalizaram a profundidade da balsa para, depois, rebocá-la para o meio do rio, afastando a embarcação de outros pontos que apresentavam riscos de novas explosões. Por volta de 11h, gases continuavam evaporando dos barris, abrindo chance para novos incêndios. Por causa disso, curiosos em barcos menores, no entorno do local do acidente, foram removidos pelas autoridades presentes da área.

Às 11h45, os Bombeiros voltaram a jogar água na balsa, que apresentou novo risco de explosão, e logo controlaram completamente a situação. A região onde a balsa está foi isolada e agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) chegaram ao local já no fim da ação para avaliar possíveis danos ao meio ambiente. Segundo a equipe, não houve derramamento de combustível na água. 

Um Inquérito Administrativo sobre Fatos da Navegação (IAFN) será aberto pela Marinha do Brasil, visando apurar as causas e as responsabilidades pelo acidente. Militares permanecem no local, dando o apoio necessário para o resfriamento das balsas.

Publicidade
Publicidade