Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
CESTA BÁSICA

Item mais caro, banana puxa alta de 4,97% na cesta básica de Manaus

Assim como a banana, o pão e a farinha também apresentaram aumentos expressivos no mês: 3,45% e 2,99%, respectivamente



1082494.JPG Novamente, a vilã da vez é um produto fundamental na mesa do consumidor local: a banana (Foto: Arquivo A Crítica)
06/06/2016 às 11:02

A cesta básica em Manaus subiu pelo segundo mês consecutivo em maio. De acordo com os dados do Dieese, seu preço médio na capital amazonense foi de R$ 383,72 para R$ 386,08 - uma alta de 0,62%. De janeiro até agora, a cesta subiu 4,97%, se colocando acima da inflação estimada para o ano.

Novamente, a vilã da vez é um produto fundamental na mesa do consumidor local: a banana. Somente no mês de maio, em comparação com abril, ela subiu 6,02%. No acumulado do ano, essa alta foi de 51,81% - de longe, a maior dentre os 11 produtos que compõem a cesta básica.

Assim como ela, o pão e a farinha também apresentaram aumentos expressivos no mês: 3,45% e 2,99%, respectivamente. A farinha, em especial, subiu 45,66% desde janeiro, só ficando atrás da banana nesse aspecto.

Segundo o Dieese, essas subidas notórias no acumulado do ano se devem a problemas de produção e distribuição que, espera-se, sejam resolvidos no segundo semestre.

Relatório

O relatório do Dieese apontou que, dos 11 produtos da cesta básica, cinco subiram de preço, seis caíram de preço e um, o açúcar, não apresentou alterações. Os que tiveram aumento foram a banana, o pão, a farinha, o feijão e o leite. Por sua vez, manteiga, carne, óleo, café, arroz e tomate tiveram queda.

No ranking das capitais com cestas mais caras, Manaus subiu uma posição de abril para maio, indo do 14º para o 13º. Dentre as 27 capitais, ao todo, 17 perceberam aumento e 10 tiveram queda no preço de suas cestas.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.