Publicidade
Manaus
PARALISAÇÂO

Greve dos bancários do Amazonas será definida após assembleia

Paralisação é dada como certa pela categoria, que realiza Assembleia Geral nesta sexta-feira (2). Entre as reivindicações, trabalhadores pedem reajuste salarial, contratação de funcionários e fim das demissões 01/09/2016 às 14:40 - Atualizado em 02/09/2016 às 19:14
Show bancarios
Trabalhos em 198 agências do Amazonas devem ser paralisados (Foto: Márcio Silva/AC)
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Seguindo mobilizações que ocorrem em todo o Brasil, o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários no Estado do Amazonas (Seeb-AM) irá realizar uma Assembleia Geral nesta sexta-feira (2) para deliberar uma possível greve geral dos trabalhadores. Segundo a associação, 198 agências do Estado devem paralisar as atividades por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira (6) caso a greve seja aprovada pela categoria.

Segundo o presidente do sindicato no Amazonas, Nindberg Barbosa, a lista de reivindicações da categoria inclui reajuste salarial de 15% e reposição da inflação em 5%, valorização do piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24), contratação de novos funcionários, reajuste da PLR, combate às metas abusivas e ao assédio moral, fim das demissões, mais segurança e melhores condições de trabalho.

Conforme Barbosa, as contrapropostas apresentadas pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) não satisfazem os pedidos da categoria. Na Assembleia desta sexta, que vai acontecer na sede administrativa do sindicato, localizada na rua Leonardo Malcher, Centro, ele explica que os trabalhadores devem ratificar as decisões do comando e dar cumprimento ao rito legal.

“O Sindicato dos Bancários avalia que essa contraproposta é um insulto à categoria, pois sequer contempla a reposição da inflação dos últimos meses e representa perdas para o bolso de cada bancário. O abono é uma enrolação, visto não ter incidência no salário base, nas gratificações e nos demais benefícios como FGTS e INSS. A única alternativa para mudar esse cenário é a greve”, declarou Barbosa. 

A proposta da Fenaban foi de reajuste de 6,5% mais R$ 3 mil de abono para os trabalhadores. O Comando Nacional dos Bancários diz que essa proposta representa perda real de 2,8% (ao se descontar a inflação de 9,57%).

Segundo o Seeb-AM, em todo o Amazonas são 3.600 bancários que atuam em 198 agências. Só na capital são 94 estabelecimentos bancários que atendem em média cerca de 15 mil correntistas por dia.

Publicidade
Publicidade