Publicidade
Manaus
Manaus

Banco Central deve tomar providências para evitar a falta de moedas em Manaus, avalia parlamentar

Comandada pelo vereador Álvaro Campelo (PP) a reunião decidiu recorrer ao Banco Central pedindo aumento da circulação de moedas na cidade 16/10/2014 às 20:22
Show 1
Funcionários do comércio, como Wesley Ribeiro, têm encontrado dificuldade para dar troco aos clientes
ACRÍTICA.COM Manaus (AM)

O Banco Central deve assumir a responsabilidade para evitar a falta de moedas em Manaus. A avaliação é do presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de Manaus (COMDEC/CMM), vereador Álvaro Campelo (PP), que comandou uma reunião, nesta quinta-feira (16), para debater a escassez de moedas na capital amazonense com representantes do Sindicato dos Lotéricos, do setor comercial e de instituições bancárias.

Segundo o parlamentar, até a próxima semana, será entregue um documento que vai pedir ao Banco Central a adoção de providências necessárias para permitir o aumento da emissão e da circulação de mais moedas no mercado manauense. “Desta forma, queremos garantir que o direito do consumidor seja respeitado e também queremos viabilizar o negócio dos comerciantes que encontram dificuldades para manter suas atividades em Manaus”, afirmou.

Saiba mais sobre o problema

Manaus precisa de R$ 10 milhões em moedas para resolver o problema de falta de troco no comércio local. O cálculo foi feito pela Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus).

Segundo o presidente da entidade, Ralph Assayag, a situação de falta de moedas por parte dos comerciantes para dar troco aos clientes é grave e tem piorado nos últimos dias. “Faltam moedas de cinco, de dez e cinquenta centavos, além das moedas de R$ 1”, afirmou ele.

Para amenizar o problema, a entidade pretende, até o fim desta semana, enviar uma carta ao Banco do Brasil, para ser remetida ao Banco Central (BC), solicitando a troca de pelo menos R$ 10 milhões em cédulas por moedas. “Esperamos que a medida surta efeito rapidamente”, ressaltou.

*Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade