Publicidade
Manaus
‘Dedo duro’

Bandidos sequestram professora e ameaçam de morte diretora de creche

A professora foi colocada dentro de um carro sob a mira de uma arma. Os criminosos disseram que matariam a diretora da creche por ela ser “dedo duro” 20/10/2016 às 18:25 - Atualizado em 21/10/2016 às 14:56
Show 1150568
O caso ocorreu em uma creche localizada no bairro Gilberto Mestrinho (Foto: Kamyla Gomes)
Kamyla Gomes Manaus (AM)

A diretora da Creche Municipal Professora Virgínia Marília Mello Araújo, localizada na travessa B2, bairro Gilberto Mestrinho, comunidade Grande Vitória, Zona Leste de Manaus, está sendo ameaçada de morte por criminosos daquela área. Ontem (19), por volta de 12h, ela foi até o 4° Distrito Integrado de Polícia (DIP) registrar um Boletim de Ocorrência (BO) pelo crime de ameaça.

Um dia antes, pela manhã, uma professora de 49 anos, da mesma creche, informou a policiais militares da 4° Companhia Interativa Comunitária (Cicom) que estava se deslocando para a escola quando foi abordada no meio do caminho por quatro homens em um veículo modelo Celta, de cor prata e placas não informadas. Segundo os policiais, a professora havia informado que um dos criminosos havia abaixado o vidro da janela do carro, apontado uma arma e em seguida, exigiu que a mesma entrasse no veículo.

Conforme o registro no Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), quando a professora entrou no carro eles deram o aviso a ela, dizendo que iriam entrar na escola e matar a diretora. Eles haviam alegado que o motivo seria pelo fato da diretora ser “dedo duro”. Além da ameaça de morte, os criminosos disseram também que iriam entrar na creche e realizar um arrastão e, depois, um deles ainda chegou a dar um soco na cabeça da professora e a liberaram. Foi quando ela acionou a PM.

Todas essas informações foram repassadas pela professora, para os policiais que atenderam a ocorrência. Após isso, eles orientaram a professora, e posteriormente a diretora, a fazer o boletim de ocorrência. Neste dia, elas informaram que iriam por meios próprios até a delegacia da área.

O delegado titular do 4° DIP, Ricardo Cunha, informou para a equipe de reportagem que a professora até o momento não compareceu à delegacia para formalizar a denúncia, por conta do medo que estaria sentindo. “Apenas a diretora nos procurou para registrar o BO. Ela não foi ameaçada diretamente, pois o que ela relatou é que a professora que sofreu o assalto, foi quem recebeu o aviso”, disse o titular.

Ainda segundo o delegado, eles esperam que a professora procure a delegacia para formalizar toda a situação. “Nós fomos atrás da professora, e não a encontramos. Parece que ela está com medo de envolver a polícia e simplesmente se omitiu. Ainda não temos a declaração oficial dela aqui para nós”, disse a autoridade policial. Conforme Cunha, mesmo diante disso, a Polícia Civil já se adiantou e está dando andamento às investigações. “Estamos indo em campo para que possamos chegar na autoria de tudo isso”, finalizou.

Na noite do dia 2 de setembro desse ano, bandidos fizeram a limpa no local. Foram levados desde aparelhos eletrônicos até a comida do local. Também no dia 28 de março, a creche foi furtada. Todas ocorrências registradas no 4° DIP. Uma moradora do local disse que a área tem sido alvo de assaltos.

Publicidade
Publicidade