Publicidade
Manaus
em tempos de crise

Barbearias mostram que a concorrência saudável pode impulsionar a economia

Salões do Jardim Petrópolis, na Zona Sul de Manaus, disputam clientes oferecendo preços baixos. Clientela tem aumentado em ambos 23/06/2016 às 18:37 - Atualizado em 23/06/2016 às 20:53
Show fdfgdgdfg
Fotos: Jander Robson
Vanessa Marques Manaus (AM)

Em tempos de crise é preciso lidar com a concorrência com jogo de cintura e estratégias diversas. A reportagem vai mostrar que a disputa entre dois salões-barbearias no bairro Jardim Petrópolis, na Zona Sul, impulsionou ainda mais a economia local e quem saiu ganhando também foi, principalmente, os clientes.

Na rua Campos do Jordão, quem procura um corte de cabelo mais barato vai ficar em dúvida se entra no “Salão do Léo” ou no “Salão Nossa Gente”. Os dois estabelecimentos ficam quase em frente um do outro e oferecem preços bem em conta nesses tempos de crise.

Realizando um sonho

No Salão do Léo, o corte masculino custa R$ 5 e ele chega a atender até 30 clientes por dia. O proprietário, Leovander Nascimento, abriu o salão há menos de um mês e já movimentou o comércio no local.

Antes de abrir o próprio negócio, ele era funcionário do salão em frente. “Desde que cheguei em Manaus, resolvi que ia trabalhar para ter meu próprio salão”, conta ele, que é natural do Pará e mora em Manaus há um pouco mais de um ano. “Eu fui comprando os materiais e equipamentos para abrir o meu salão aos poucos. Quando eu tinha o necessário, pedi demissão e resolvi tentar”, explicou.

Leovander conta ainda que sempre trabalhou com cortes de cabelo. “Desde os 13 anos idade eu faço isso”. Ele então trabalhou duro por dois anos no salão da frente e, quando já tinha equipamentos suficentes para abrir seu próprio salão, seguiu em frente. Sobre escolher um ponto justo em frente ao antigo local de trabalho, ele afirma que não foi por implicância e sim porque já tinha clientela fixa. “Encontrei esse ponto logo e me dou super bem com o pessoal do salão da frente, cada um ganha o seu”, garante.

Agora, ele planeja investir mais comprando novos materiais como espelho, cadeiras, máquinas de corte, pentes, escovas e também instalar ar condicionado e comprar poltronas confortáveis para o local. Leo atende pelo telefone 99307-3330.

No ‘Nossa Gente’ o preço é bem baixinho: R$ 4

Quando o os proprietários do Salão Nossa Gente viram que estavam com novo concorrente e que oferecia um preço menor, eles resolveram baixar o preço para R$ 4 e chegam a atender até 60 clientes durante o dia, que fica aberto das 7h às 21h.

De acordo com um dos sócios do estabelecimento, Marcelo Costa, o salão tem diversas unidades espalhadas pela cidade. “Foi o que permitiu que a gente baixasse o preço do corte dessa unidade e não perdesse cliente”, conta.

O salão funciona na rua Campos do Jordão há pelo menos 12 anos e Marcelo está na sociedade a menos de dois meses. O Salão Nossa Gente não atende por hora marcada. Mais informações sobre preços e endereço pelo telefone 98828-1225.

Publicidade
Publicidade