Publicidade
Manaus
PORTO

Barcos começam a sair de Manaus rumo ao Festival Folclórico de Parintins

Há várias opções de embarcações para quem quer ir curtir a 53º edição da tradicional disputa entre os bumbás Garantido e Caprichoso. Confira: 22/06/2018 às 20:52 - Atualizado em 23/06/2018 às 08:41
Show 5c3c7e89 ccfc 4a84 bfbe 19438106b501
Foto: Jander Robson
Nelson Brilhante Manaus (AM)

Faltando cinco dias para o início da 53ª edição do Festival Folclórico de Parintins, com a tradicional disputa entre os bumbás Garantido e Caprichoso, milhares de pessoas já estão se deslocando para a Ilha de Tupinambarana. Os “apressadinhos” temem imprevistos como transtornos de última hora em aeronaves, problemas também quando a opção de ida é pelo transporte fluvial, como por exemplo, o excesso de passageiros.

“As pessoas estão viajando muito mais cedo que nos outros anos”, confirmou Daniel Vilaça, 39, um dos proprietários do PP Maués IV, um dos barcos que transportam admiradores do boi-bumbá de Parintins, e que deixou o porto de Manaus às 20h de ontem, sexta-feira (22).

Com capacidade para mais de 400 passageiros, o PP Maués IV tem pacote especial para o Festival. Sai de Manaus às 20h da quarta-feira e retorna às 5h do dia 3 de julho. Com direito a alimentação e permanência a bordo durante a festa, o passageiro que optar por uso de rede paga R$ 250. Camarote custa R$ 2 mil e suíte R$ 2,5 mil.

Os proprietários estão satisfeitos com a procura antecipada por bilhetes. “No ano passado a procura só aumentou dois dias antes da viagem. Este ano, o movimento está grande”, disse Daniel Vilaça. Segundo ele, a lotação e as condições de segurança obedecem a todas as determinações da Capitania dos Portos.

Daniel aproveitou para fazer a mídia e conseguir o faturamento previsto. “O nosso é o único barco com trinta e cinco metros quadrados de área aberta atrás e dois chuveirões. Para alegrar a viagem estamos levando atrações musicais como DJ Alex Marques, Felipe Júnior e banda, Auzier do Samba e Juninho do Brega”, informou o empresário.

Há quatro anos André da Silva Zurra, 38, trabalha no porto Manaus Moderna vendendo passagem para oito barcos, a maioria com destino final em Parintins. O mais procurado é o São Bartolomeu, embarcação de ferro, com capacidade para 1.200 passageiros e deixa Manaus ao meio-dia de todos os sábados.

A previsão do vendedor é de que 700 pessoas viagem hoje com destino a Parintins, número superior ao do ano passado no mesmo período. “Esse é o mais procurado porque é grande, seguro, mais barato que os outros, tem ar refrigerado, ambiente para redes e suítes. Ele somente passa por Parintins”, disse  André. Uma passagem normal (em rede) custa R$ 80 e uma suíte, R$ 700, entretanto, quanto mais se aproxima o primeiro dia do Festival Folclórico de Parintins (dia 29 de junho) os preços tendem a subir.

O barco Rondônia, com capacidade para 850 pessoas, sai de Manaus quarta-feira e retorna dia 2 de julho. O tempo de viagem no trecho Manaus / Parintins pode durar cerca de 22h, já o trecho de retorno pode durar até 30 horas. O passageiro fica hospedado na embarcação, mas a alimentação é paga. Os preços são variados: de R$ R$ 220 (rede, sem ar condicionado), R$ 275 (rede em área com ar condicionado) e até suíte master (uma cabine) com banheiro privativo a R$ 3.300.

Capitania de olho na superlotação

A ânsia de alguns proprietários de embarcações em aumentar o faturamento com superlotação todos os anos causa transtorno aos passageiros, que acabam sendo cúmplices do problema nos dia mais próximos do festival do folclórico. Em pontos estratégicos, equipes da Capitania dos Portos abordam as embarcações e, caso estejam com excesso de lotação são apreendidas.

Entre os dias 16 de abril ae 25 de maio, a Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando do 9º Distrito Naval (Com9ºDN)  intensificou os preparativos para a “Operação Parintins 2018”, com a realização das vistorias especiais nas embarcações para a concessão do “Passe” da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC), que começaram a ser entregues na última quarta-feira.

Para evitar o pior, a autônoma Adleiane Carneiro Ribeiro prefere antecipar para hoje, no navio São Bartolomeu,  sua viagem com destino à ilha onde nasceu.

Lanchas ‘a jato’

A Agência Joãozinho administra mais de dez lanchas a jato para o período. Segundo a empresa, até segunda-feira  a média de preços é de R$ 200. A partir de então, R$ 250. A Lancha Ana Karoline não inclui alimentação no valor das passagens. As demais oferecem café e almoço e o assento é livre.

Publicidade
Publicidade