Publicidade
Manaus
Manaus

Basa afirma paralisação das atividades por tempo indeterminado

Em assembleia que ocorreu na última segunda-feira (14), bancários decidiram pela continuação da greve que se estende desde o dia 19 de setembro 16/10/2013 às 17:33
Show 1
Presidente do sindicato diz que greve continuará por tempo indeterminado
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Cerca de 120 funcionários do Banco da Amazônia (Basa) decidiram em assembleia que ocorreu na última segunda-feira (14) continuar a greve que já alcança o seu 26º dia. Apesar dos outros bancos da capital terem optado pelo fim da paralisação na madrugada do dia 11 (sexta-feira), o Basa alega que cláusulas específicas da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) prejudicam os funcionários.

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários do Amazonas, Nindberg Souza, entre as reivindicações da categoria está um plano de cargos, carreiras e salários, o fim da lateralidade – substituição e acumulação de função -, além da representação dos bancários no comitê disciplinar administrativo.

Ainda de acordo com o presidente, o paralisação ainda não tem previsão de término. “As cláusulas não atendidas são mais específicas. No caso dos outros bancos, elas tinhas um aspecto mais econômico e foram acatadas, por isso as agências do Basa vão continuar em greve”.

Bancos encerram greve

Após 23 dias de greve, as agências bancárias no Amazonas voltarão a funcionar nesta segunda-feira (14) após o Sindicato dos Bancários do Amazonas (SEEB) aceitar, durante assembleia, a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) feita, ainda na madrugada desta sexta (11), ao Comando Nacional dos Bancários, em Brasília.

"A gente espera que a Fenaban oriente os bancos privados a seguir o mesmo exemplo e contrate mais pessoas", declarou Nindberg. No Amazonas 128 agências ficam sem funcionamento durante a greve. "A adesão de nove municípios do interior foi coisa que nunca tinha acontecido", disse.

Publicidade
Publicidade