Terça-feira, 21 de Maio de 2019
Manaus

Bebê diagnosticado com meningite em presídio do AM continua sob avaliação médica

Mais três crianças também foram encaminhadas para o Hospital Delphina Aziz após apresentavam febre e diarréia, mas retornaram para o Centro de Detenção Provisória



1.jpg
A informação que ele teria sido transferido para Fundação de Medicina Tropical foi negada
05/01/2016 às 09:18

O bebê de dois meses - filho de uma detenta do Centro de Detenção Provisória (CDP), localizado no Km 8 da rodovia BR-174 -, e que apresentou sinais de meningite, continuava sob avaliação médica na manhã desta segunda-feira (5) no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, Zona Norte de Manaus. A informação que ele teria sido transferido para Fundação de Medicina Tropical foi negada.

O Centro de Informação Estratégica de Vigilância e Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), que está acompanhando o caso, informou que o bebê foi transferido pois na unidade Dalphina Aziz os médicos não conseguiram realizar o exame do Líquido Cefalorraquiano (LCR), conhecido como líquor espinhal, e acharam melhor realizar a transferência para a unidade especializada em tratamento de doenças tropicais.

Os médicos do Delphina não conseguiram realizar os exames pois o bebê continuava a apresentar um quadro de convulsão, fato que dificultou o exame. De acordo com a gerente do Centro de Informação da Semsa, Marinelia Ferreira, por não apresentar as manchas na pele, "é possível de início afirmar que a meningite seja viral" (quando não é transmissível por bactéria, mas por vírus). O bebê continua internado.

“Nossa função é continuar acompanhar o caso, mas por não haver esse sintoma na pele, acreditamos que a doença não seja a mais grave e preocupante, mesmo a criança continue a apresentar sinais de confusões”, explicou a gerente.

Divisão de Vigilância Epidemiológica faz fiscalização

Além da transferência do bebê, a Secretaria de Estado de Administração Penitênciária (Seap) informou que uma equipe da Divisão de Vigilância Epidemiológica da Semsa realizou uma visita na unidade onde estava o bebê para uma inspeção no local além de realizar umas palestras com as internas de orientação e cuidados que devem ser tomados para manter a higiene e evitar doenças no centro provisório.

A Seap informou que mais três crianças também foram encaminhadas para o Delphina Aziz e apresentavam febre e diarréia e retornaram no final de semana para o CDP.

Após o ocorrido, a área do berçário, onde os bebês ficam alojados e da enfermaria foram isoladas e passaram por higienização e procedimento de controle de infecção. Alguns colchões foram incinerados e substituídos por novos. Essas recomendações foram sugeridas por médicos do Delphina Aziz.

A origem da informação

O caso veio a conhecimento público depois que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) seccional Amazonas providenciou a realização de exames de prevenção à meningite em quatro advogadas que foram presas durante a operação La Muralla, da Polícia Federal, suspeitas de trabalharem para a facção criminosa Família do Norte (FDN).

A Secretaria de Estado de Administração Penitênciária (Seap), informou que o espaço ao lado onde as advogadas estão alojadas também passou pela inspeção da equipe da Divisão de Vigilência Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e também participaram de palestras sobre a meningite e receberam informativos sobre a doença como causa, tratamento e outras orientações.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.