Publicidade
Manaus
ASSEMBLEIA A

Belão, Josué Neto e Serafim na disputa pela presidência da ALE-AM

Eleição para o próximo presidente da Casa Legislativa no biênio 2019-2020 acontece no próximo dia 1º de fevereiro 06/01/2019 às 00:58 - Atualizado em 15/01/2019 às 10:57
Show 1546717954205441 df13c876 975d 498d afba 3699b4d49c5c
Foto Arquivo A Critica
Wal Lima Manaus

No dia 1º de fevereiro a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) irá definir o próximo presidente do parlamento para o biênio 2019-2020. A votação ocorrerá no plenário da casa legislativa por meio de voto direto no painel eletrônico, logo após a cerimônia de posse dos deputados estaduais eleitos e reeleitos para o pleito de 2019 a 2022.

A disputa até o momento está entre Belarmino Lins (PP), Josué Neto (PSD) e Serafim Corrêa (PSB). Belarmino por sua vez, é o parlamentar mais antigo não só no Amazonas, mas do País com seus 73 anos, dos quais já ocupou o cargo de presidente da ALE-AM por três vezes seguidas entre os anos de 2005 e 2010.

Josué Neto (PSD), apesar jovem com seus 43 anos de idade, também leva relativa vantagem por já ter duas passagens pela mesa-diretora entre 2013 e 2016.

Depois de Belarmino, Serafim Corrêa e o segundo deputado estadual mais experiente da casa, com 71 anos de idade. Ele nunca passou pela presidência do parlamento, mas entra no páreo após ter uma carreira política exercida por quase 31 anos, da qual já passou pela Prefeitura de Manaus entre os anos de 2005 e 2008.

A disputa

Apesar de três concorrentes, a disputa até o momento está acirrada entre Belarmino Lins e Josué Neto. De um lado, Josué garante já ter articulado os votos de 95% dos parlamentares e ter 15 votos certos, fora o do próprio parlamentar.

Segundo ele, além de toda a bancada feminina composta por quatro deputadas, os deputados Carlinhos Bessa (PV), Roberto Cidade (PV), Felipe Souza (PHS), Wilker Barreto (PHS), João Luiz (PRB), Sinésio Campos (PT), Ricardo Nicolau (PSD), Cabo Maciel (PR), Saulo Vianna (PPS) e Fausto Júnior (PV) também confirmaram apoio.

Fausto Júnior, que foi citado como um dos apoiadores da candidatura de Josué Neto, é sobrinho de Belarmino Lins. Segundo ele, seu voto foi definido pelo fato de Josué ter sido um dos deputados experientes que mais apoiou os recém-chegados ao parlamento.

Já a assessoria de Belarmino afirma que o político conta com o apoio unânime do seu grupo de coordenação, composto pelos deputados Adjuto Afonso (PDT), Álvaro Campelo (PP), Dermilson Chagas (PP) e Abdala Fraxe (Podemos). 

“Os quatro deputados do PP estão com ele, incluindo Mayara Pinheiro”, acrescentou a assessoria do parlamentar.

Indecisa

Com a afirmação do voto tanto por Josué Netto quanto pela assessoria de Belarmino Lins, foi colocado em xeque qual será a escolha da deputada eleita Mayara Pinheiro na votação prevista para fevereiro. 

Procurada pela reportagem, a parlamentar preferiu não comentar sobre o assunto, dizendo que só irá se posicionar quando retornar a Manaus nas próximas semanas.

Atualmente, Mayara Pinheiro exerce o mandato de vice-prefeita do Município de Coari (a 363 quilômetros de Manaus).

Presidência é essencial para a garantia de um funcionalismo do Estado, analisa cientista político

‘Um cargo fundamental’

A partir deste ano  a mesa-diretora da Assembleia Legislativa do Estado passa a contar com mais dois cargos, passando de oito para dez parlamentares na direção da casa. A medida ocorreu após a aprovação de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), apresentada pelo deputado estadual Belarmino Lins, em novembro do ano passado.No projeto, ainda foi acrescentada uma emenda da deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB), que obriga a presença de ao menos duas deputadas do sexo feminino na mesa-diretora. Além da deputada reeleita, o parlamento também será composto por outras três parlamentares: Dra. Mayara Pinheiro (PP), Joana Darc (PR), e Therezinha Ruiz (PSDB) que exercem o mandato de vereadoras até o final deste mês.

Para o cientista político Helso do Carmo, o cargo de presidente da ALE-AM é fundamental para a garantia de um funcionalismo do Estado. “Digo isto, tendo em vista o momento que o País está enfrentando por conta de presidencialismo em coalizão, que sem dúvidas reflete nas unidades federativas. Os governadores tendem a necessitar mais do apoio das assembleias legislativas, por isto a importância desta votação e os constantes diálogos”, avalia. O fato de nenhum candidato da coligação do governador Wilson Lima ter sido eleito para este pleito, também é outra questão que o obriga a manter o nível das conversas com estes parlamentares. Por conta de todos estes fatores, acredito que Josué Neto (PSD) leva uma certa vantagem por ter o apoiado no segundo turno”.

Orçamento 

A Assembleia Legislativa do Amazonas conta com um percentual de 3,9% do orçamento anual do Estado. A parcela equivale a R$ 17,95 bilhões. O poder de administrar esse montante é um dos atrativos para os postulantes ao cargo de presidente da Casa Legislativa.

Publicidade
Publicidade