Publicidade
Manaus
Manaus

Beneficiários tentavam trocar leite doado por cachaça em Manaus

Suspeitas de trocar leite doado pela prefeitura serão ouvidas pela polícia nesta quinta-feira (14). O delegado averigua também se há envolvimento de funcionários públicos no desvio da mercadoria doada às famílias de baixa renda. Se confirmado que os produtos foram desviados por servidores públicos, os envolvidos responderão pelo crime de peculato 14/03/2013 às 12:25
Show 1
Delegado Adriano Félix continua as investigações e deverá ouvir as mulheres que trocaram as latas de leite nesta quinta-feira (14)
Bruna Souza Manaus, AM

Duas mulheres que foram apontadas pelo proprietário do Mercadinho Super Ceará – onde a equipe de reportagem do portal acritica.com comprovou a venda irregular de latas de leite doados pela Prefeitura de Manaus – foram identificadas e serão chamadas pela polícia para serem ouvidas ainda nesta quinta-feira (14). Segundo o proprietário, algumas pessoas o procuravam para trocar as latas por outro tipo de leite e, até mesmo, cachaça.

De acordo com o delegado titular do 25º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Adriano Félix, que coordena as investigações do caso, o proprietário André Ribeiro, 28, foi até a delegacia e em depoimento continuou afirmando que não comprava as latas de leite vendidas no estabelecimento comercial.

Leite por cachaça

Segundo o delegado, o dono do mercadinho informou que beneficiárias do programa da Prefeitura de Manaus ‘Leite do Meu Filho’ procuravam o estabelecimento para trocarem os produtos por outras marcas de leite ou, em alguns casos, por cachaça.

André garantiu que apenas trocou as latas quando as mulheres argumentaram que seus filhos não teriam se acostumado ao Nestogeno 2 e trocado por latas de leite Ninho. As identificações das mulheres não foram informadas para não atrapalhar as investigações.

O delegado averigua também se há envolvimento de funcionários públicos no desvio da mercadoria doada às famílias carentes de Manaus.

O mercadinho foi interditado desde a tarde de quarta-feira (13) após a visita do prefeito Artur Virgílio Neto, que soube da denúncia por meio da reportagem do acritica.com. Ele foi pessoalmente ao local com equipes da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Divisão de Vigilância Sanitária (Dvisa) e policiais civis do 25º DIP.

No local foram encontrados alimentos vencidos, mal acondicionados, falta da licença sanitária, produtos roídos, a circulação de roedores e baratas e outras irregularidades.

O proprietário poderá responder por receptação e se confirmado que os produtos foram desviados por servidores públicos, responsáveis pela distribuição das latas de leite aos cadastrados no programa, todos os envolvidos responderão pelo crime de peculato contra a administração pública municipal.

Fiscalização

A partir desta quinta-feira (14), dez equipes da Dvisa foram encaminhadas para uma vistoria em supermercados e mercadinhos das Zonas Norte e Leste. O objetivo é verificar irregularidades nos estabelecimentos comerciais e verificar também se há a venda das latas de leite oriundas do programa social.

Legalização

Ainda na manhã desta quinta-feira, o dono do estabelecimento interditado após a denúncia divulgada no portal acritica.com compareceu na sede da Dvisa para legalizar o funcionamento do Mercadinho Super Ceará, localizado entre as ruas I e Perimetral, no bairro Armando Mendes, Zona Leste de Manaus.

Segundo o diretor do órgão, André Ribeiro, de 28 anos, assinou o Documento de Arrecadação Municipal (DAM) e pagou a multa estipulada no valor de R$3.015.

O comércio foi liberado e voltar a funcionar apenas proibido de comercializar carne. O proprietário tem um prazo de 30 dias para que todas as irregularidades sejam verificadas e o mercadinho esteja dentro dos procedimentos exigidos pela Dvisa.


Publicidade
Publicidade