Terça-feira, 21 de Maio de 2019
SOLIDARIEDADE

Bispos católicos dizem que Deus está comprometido com a humildade e fraternidade

Viver o dia de Natal é comemorar o milagre do nascimento de Jesus Cristo e fazer despertar em todos nós a esperança em nosso Deus, é o que afirma o arcebispo da arquidiocese de Manaus, Dom Sérgio Castriani



25/12/2016 às 05:00

Enfeitar a casa com luzes coloridas, fazer compras, dar presentes e montar uma mesa farta de comida para confratenizar com a família e amigos:  isso  é o Natal para a maioria das pessoas que dizem ser cristãs. A data tem um propósito religioso que vai muito além do que a sociedade prega hoje. Viver o dia de Natal é comemorar o milagre do nascimento de Jesus Cristo e fazer despertar em todos nós a esperança em nosso Deus, é o que afirma o  arcebispo da arquidiocese de Manaus, Dom Sérgio Castriani.

“O Natal é o compromisso de Deus com a humanidade, aliança definitiva. É  quando Deus  se faz homem dentro da história humana. É a esperança de que Ele está conosco” diz o bispo.  Para  Castriani, Deus é como um de nós, que entrou na história pela encarnação do verbo, e é também a  salvação que vem dos pobres e do povo.

De acordo com o religioso, se Jesus voltasse agora, Ele seria recebido como foi anteriormente, pelos pobres. Ele foi reconhecido pelos trabalhadores do campo, pelos grandes também, mas estes tiveram que mudar de vida. Os reis magos, por exemplo, mudaram de caminho.  “Para nos encontrarmos com Ele, precisamos nos converter e mudar de vida. Jesus está entre os pequenos, entre os doentes, naqueles que estão excluídos. Ele recusou a tentação do poder e se fez como criança”.

 O compromisso de deus
Para o bispo, a salvação não virá para os grandes, mas para os pequenos, os humildes que é com quem Deus está comprometido. Castriani aponta a solidariedade como o caminho para a salvação, para a redenção e para a humanidade. De acordo com o arcebispo, o dinheiro, a corrupção, o poder desmesurado e o consumismo é o leva a essa grande crise moral, ética e política pela qual estamos passando. Para Castriani, é preciso ir recuperando a solidariedade e a fraternidade. O religioso afirma que  é possível encontrar esses valores no meio dos pobres, dos pequenos, dos humildes.  “Temos a certeza de que Deus está conosco! Deus Emanuel é a encarnação do verbo”.

Esperança
Conforme Castriani, nem tudo está perdido na humanidade, ainda há esperança. O bispo destacou que no Amazonas há grandes homens e mulheres importantes no meio do povo. “Os amazonenses são pessoas boas criativas, solidárias, acolhedoras, de grande valor moral, da mesma forma os jovens têm muitos valores, são esperançosos, criativos lutadores que buscam a paz e é aí que está o nosso futuro”.

Dom Tadeu Canavarros - Bispo auxiliar de Manaus
O Natal não é só uma lembrança, mas Cristo é o fundamental. É um dos momentos profundos de reflexão que a humanidade faz sobre si e o mundo. Isso é Natal. Deus vem sempre ao nosso encontro. Jesus é o salvador do mundo. Ele é o Messias, é o filho de Deus, é Emanuel, o Deus conosco.  A solidariedade nos diz que Jesus está presente e que não estamos sozinhos, e ele nos ajuda a viver. Os problemas dos países com o desemprego, guerras, mortes causadas por atos de terrorismo, são causados pela ganância das pessoas. Não é apenas pela ausência de Deus, mas também porque não vivem a fé que nos leva a ter compromisso conosco e com os nossos próximos. Esse é o mandamento: que amemos uns aos outros!

Não há respeito pela vida, avalia Castriani
Conforme  Dom Sérgio Castriani, o mundo que vivemos hoje é   imoral, onde as pessoas não respeitam a vida. Para ele, a questão do aborto é perigosíssima porque é um desrespeito à vida, que, nesse caso, pode ser tirada se está atrapalhando alguém. A corrupção também é um problema de imoralidade, aponta o arcebispo. 

O religioso questiona: “Qual exemplo que um jovem tem quando vê um político corrupto comandando o País?” Quando vê isso, o jovem pensa  se vale a pena ser bom, ser  honesto. “Os políticos corruptos deveriam ter vergonha na cara. Eles não merecem o País que servem, pois tem tanta baixaria do  poder pelo poder. Somas grandes de dinheiro que a gente nem imagina são desviadas. Falta vergonha na cara e respeito pelo povo, afirma o bispo.

Dom Sérgio sugere que o político corrupto deveria lembrar-se de onde veio. Muitos deles vieram de famílias pobres subiram na vida com dificuldade. Para  Castriani, muita coisa poderia ser mudada com a reestruturação das famílias, das comunidades de base e dos valores morais.

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.