Publicidade
Manaus
'CURRÍCULO'

BMW envolvida em acidente tinha seis multas por excesso de velocidade, diz Detran-AM

Diretor do órgão afirmou que perícia identificou que veículo guiado por Gabriel Ale estava a pelo menos 180 km/h quando atropelou e matou mototaxista 12/06/2017 às 19:13 - Atualizado em 12/06/2017 às 21:10
Show whatsapp image 2017 06 12 at 19.06.30
Motorista apresentava sinais de embriaguez, segundo o diretor do Detran
Kelly Melo e Fábio Oliveira Manaus (AM)

A BMW guiada por Gabriel Ale Alencar, de 23 anos, no acidente que matou o mototaxista Cesar Severino Leite, 42, na noite deste domingo, tinha seis multas por excesso de velocidade e duas por avanço de sinal vermelho. A informação é do diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), Leonel Feitoza. 

De acordo com ele, o Detran-AM abriu processo administrativo para cassar o direito de Gabriel Ale dirigir. Ele foi indiciado pelos crimes de homicídio culposo - quando não há intenção -, lesão corporal e posse de entorpecentes.A família do rapaz alegou que a maconha foi plantada por outros mototaxistas para incriminar o motorista.

“Chamou a atenção o fato de que 80% das multas que existem para esse veículo são de excesso de velocidade e cruzar o sinal vermelho. Infelizmente, ele vai poder responder em liberdade, mas existe uma luta de todos os Detrans para que a Justiça em casos como esse seja mais rigorosa. Porque nesse caso, ele assumiu o risco de matar alguém”, afirmou Leonel. 

Para o Detran, a suspeita é de que Gabriel estivesse participando de um racha na hora do acidente. Segundo a Polícia Militar, ele perdeu o controle e colidiu com outros quatro veículos e chegou a ficar preso nas ferragens.

Segundo o Detran, a perícia técnica apontou que a BMW estava em uma velocidade média variando entre  180 km/h e 200 km/h. “Identificamos várias irregularidades gravíssimas e por isso, o Detran iniciou o processo de cassação da carteira de habilitação dele”, explicou o diretor-presidente do Detran, Leonel Feitoza.

Sem bafômetro
Apesar de Gabriel Ale Alencar ter se recusado a realizar o teste do bafômetro, Feitoza afirmou que ele estava visivelmente embriagado. Ele informou ainda que o motorista foi multado por outras quatro infrações: direção perigosa; estar sem o documento do veículo e sem a carteira de habilitação; deixar de prestar socorro as vítimas, e participar de pega ou racha. Ao todo, os valores das multas ultrapassam os R$ 90 mil. “Verificamos que a CNH dele vai vencer em setembro. Então já existe uma restrição para ele não poder fazer a renovação. Todas as irregularidades cometidas por ele são gravíssimas”, destacou Feitoza.

Gabriel foi multado por ter se recusado a fazer o teste e a multa foi multiplicada por dez vezes, conforme a nova lei de trânsito. "A Lei mudou. Se uma pessoa se recusa a fazer o teste de bafômetro, automaticamente ela é  autuada por isso e a multa é  agravada 10 vezes mais", explicou.

O caso foi registrado no 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), mas será investigado pelo 22º DIP, que responde pela área onde o acidente aconteceu. Depois do acidente, Gabriel Ale foi autuado por homicídio culposo - quando não há intenção - na direção de veículos automotor e posse de entorpecentes, mas acabou sendo liberado após pagar uma fiança de R$ 10 mil. “Ele não respondeu as perguntas e se reservou ao direito de  responder apenas em juízo”, disse a delegada Alynne Lima.

Publicidade
Publicidade