Publicidade
Manaus
ZONA LESTE

Projeto de Oscar Niemeyer para Manaus está há 12 anos no papel

Complexo da Ponta Branca, que teria Memorial Encontro das Águas, está longe de se tornar uma realidade 27/05/2017 às 05:00
Show memorial3
Urubu solitário ‘enfeita’ a melhor área para se ver o Encontro das Águas (Fotos: Aguilar Abecassis)
Silane Souza Manaus (AM)

A área conhecida como mirante da Embratel, localizada na estrada da Colonia Antonio Aleixo, na Zona Leste de Manaus, e onde seria construído o Memorial Encontro das Águas, continua abandonada e a mercê de vândalos e marginais, denunciam vizinhos do local. O abandono contrasta e muito com a realidade do local que tem uma vista privilegiada para a paisagem exuberante do Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões, formando o rio Amazonas, um cartão-postal conhecido interncionalmente. 

O projeto do mirante foi elaborado em 2005, na gestão do prefeito Serafim Corrêa (PSB), pelo arquiteto Oscar Niemeyer e custou R$ 600 mil aos cofres públicos. Doze anos depois, a Prefeitura de Manaus limitou-se a informar que “a obra está em fase do projeto executivo, sendo elaborado pela Laghi engenharia e projetos LTDA, sequencialmente será licitado”.

A obra em questão trata-se de um conjunto maior e que leva o nome de  Complexo Turístico da Ponta Branca, cujo investimento geral previsto é de R$ 75 milhões. De acordo com o projeto, o balneário deverá contar com um mirante onde será possível ver o Encontro das Águas, uma praia perene, um museu e há também a possibilidade da instalação de um teleférico no local.

Quem mora ou trabalha naquela região não vê a hora de qualquer um projeto para a região sair do papel. “Será mais uma opção de lazer para a população, além de atrair um movimento maior de pessoas para a área e consequentemente mais segurança”, destacou o auxiliar de dentista Arisson Felipe de Lima, 29. 

Lima  relata que a comunidade sempre recebeu com muita expectativa os projetos de revitalização do conhecido mirante da Embratel, mas foram tantas as promessas que fica difícil acreditar que um dia elas serão cumpridas. “Eles (políticos) só sabem falar e prometer! Fazer que é bom, não fazem”, observou Lima. 

A microempresária Silmara Peres, 44, é outra que sonha com o dia que a comunidade tenha uma área de lazer tão bonita quanto a exibida nas maquetes dos  projetos. “A paisagem no mirante da Embratel é linda, principalmente por conta do Encontro das Águas. Com certeza, nós só teremos melhorias com o projeto implantado”, disse. 

“A Ponta Branca entra como uma resposta para o lazer e para a economia porque é mais um ponto turístico e que abre espaço para a terceirização de empreendimentos comerciais. Estamos oferecendo uma opção tão bonita quanto a Ponta Negra do outro lado da cidade, na Zona Leste, então isso também significa melhoria no trânsito e no transporte”, prometeu  o prefeito Arthur Neto (PSDB) em 2015, mas até o momento é só mais uma obra destinada a região, como o Shopping do Terminal 4, que não saiu do papel.

Seria o ‘Fan Fest’
O projeto do Memorial Encontro das Águas foi descartado pela Prefeitura de Manaus em março de 2011 na gestão de Amazonino Mendes. Dias depois do anúncio, o então governador Omar Aziz  informou que bancaria a construção e o local chegou a ser escolhido para receber o Fan Fest, evento da Fifa com exibição de jogos em telão e shows durante a Copa do Mundo de 2014. Mas isso não aconteceu e o projeto foi novamente engavetado. O Governo do Estado não se manifestou até o fechamento desta edição. 

Publicidade
Publicidade