Publicidade
Manaus
PERIGO

Bombeiros dizem que praia da Ponta Negra tem 'altos riscos de afogamento'

Ministério Público recomendou a interdição do balneário na última quarta-feira (14), mas Prefeitura de Manaus manteve local liberado e afirma que não foi notificada 16/11/2018 às 17:20
Show praia d808a64c 45fa 4456 be92 2123617dd675
Foto: Márcio Silva
acritica.com Manaus (AM)

O Corpo de Bombeiros emitiu comunicado nesta sexta-feira (16) onde não recomenda o banho na praia da Ponta Negra devido aos “altos riscos de afogamentos”. Na última quarta-feira (14), o Ministério Público do Estado (MPE) encaminhou ofício à prefeitura pedindo a interdição do local até que a cota do rio Negro atinja 18 metros. A Prefeitura afirma que não foi notificada e decidiu manter o local aberto

Na nota, o Corpo de Bombeiros afirma que o retorno ao balneário com segurança só seria possível quando a cota do rio Negro estivesse em 18 metros para obter uma cota de segurança de 5 metros. Atualmente, a cota do rio está em 17,32 metros e a área de banho encontra-se em cinco metros, com área de segurança em 2 metros.

A corporação informou que um laudo da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM)atesta que após 7 metros da praia existem muitas deformidades no leito do rio.

“O CBMAM defende a interdição do balneário devido aos grandes riscos para os banhistas e frequentadores da praia”, disse o comunicado.

MPE pede interdição

O MPE recomendou ao prefeito de Manaus, Artur Neto, a interdição do balneário. O ofício foi encaminhado na última quarta-feira.

“[...] considerando, também, a manifestação do Corpo de Bombeiros e as informações constantes do laudo técnico da CPRM, que apontam a cota atual como área de risco para os banhistas em face da proximidade das ‘depressões’ existentes no fundo do rio, fato que pode ocasionar acidente fatal por afogamento, recomendo a Vossa Excelência a interdição da mencionada praia até que o Rio Negro atinja a cota 18”, diz trecho do documento assinado pelo promotor de Justiça Paulo Stélio Sabbá Guimarães.

Delimitação

A prefeitura informou que até o presente momento não foi oficialmente notificada sobre a necessidade de interdição da praia pelo Ministério Público. A prefeitura disse ainda que um laudo técnico do CPRM, emitido recentemente, atestou que não há riscos na praia e que a cota de segurança do rio é de 16 metros.

“Sendo assim, prefeitura segue com o balneário aberto, aguardando a devida notificação para ver que medidas poderão ser tomadas”, informou.

TAC firmado em 2013

De acordo com o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o Corpo de Bombeiros, Prefeitura de Manaus, Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) e outros órgãos em 2013, a previsão é a que a área de banho seja de 20 metros entre a margem do rio e a delimitação em boias marcadas com área de segurança de mais 5 metros.

Publicidade
Publicidade