Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
ZONA OESTE

Bombeiros usaram mais de 100 mil litros de água em incêndio na Compensa

Galpão, situado na avenida Amazonas, abrigava grande quantidade de material inflamável como colchões, tecidos, espuma e outros. De acordo com a Susam, não houve registro de vítimas



21/02/2020 às 11:05

Mais de 100 mil litros de água foram utilizados pelo Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CMBAM) para conter um incêndio de grandes proporções em uma fábrica de colchões na Compensa, Zona Oeste de Manaus, ontem (20). A informação foi divulgada nesta sexta-feira (21) pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). De acordo com o órgão não houve registro de vítimas. 

O galpão, situado na avenida Amazonas, abrigava grande quantidade de material inflamável como colchões, tecidos, espuma, e foi atingido pelas chamas por volta das 20h de quinta-feira (20). Labaredas podiam ser vistas desde outros bairros na capital. Não se sabe ainda as causas do incêndio. Mais de 15 viaturas foram empregadas, com ação por duas vias de acesso.

Segundo moradores das proximidades, as chamas teriam sido vistas primeiro nos fundos da loja e, logo após, teriam se alastrado para todo galpão da antiga Esplanada, onde hoje existe uma loja de colchões da Eurosono.



As chamas foram controladas por volta das 22h, após ação do Corpo de Bombeiros. 

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) fez um levantamento nas unidades de saúde da capital e não registrou a entrada de nenhuma vítima de queimadura ou intoxicação por fumaça. 

Os bombeiros encontraram dificuldade de acesso ao local do incêndio e teve que fazer aberturas na parede do prédio pela rua Amazonas e pela travessa Teófilo Dias, ma Compensa.

Após a liberação do espaço pelo Corpo de Bombeiros, a perícia deve começar os trabalhos para buscar as causas do incêndio.

*Colaborou o repórter Gabriel Veras


 

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.