Publicidade
Manaus
Manaus

Briga entre alunas acaba no DIP com direito a ameaças e troca de agressões por parte de mãe

Após saber que a filha teria sido agredida por uma amiga durante briga, mãe agrediu e passou a fazer ameças a quatro alunas  12/03/2015 às 08:44
Show 1
Mônica Souza é acusada de ameaçar e agredir quatro adolescentes
fábio oliveira ---

OUÇA AQUI O ÁUDIO

CONFIRA O VÍDEO

Em um ato de fúria, a mãe de uma estudante de apenas 12 anos, identificada como Mônica Souza, invadiu na tarde da última sexta-feira (6) a Escola Estadual Eldah Bitton Telles da Rocha, conhecida como Quarentão, localizada na estrada da Estanave, bairro Compensa 2, Zona Oeste de Manaus, e agrediu com tapas e empurrões quatro alunas, com idades entre 12 e 14 anos. Ela ficou revoltada, após saber que a filha teria sido agredida por uma amiga durante uma briga entre as duas em frente a um estabelecimento próximo a unidade de ensino.

A confusão entre as alunas ocorreu na última quinta-feira (5) e a estudante agressora, de 13 anos, ainda postou o vídeo da briga nas redes sociais, como Facebook e Whatssap. Constrangida, a vítima foi para casa e contou o que havia acontecido para a mãe. Revoltada, ela ligou imediatamente para a agressora e a ameaçou de morte. No dia seguinte invadiu a escola à procura da adolescente. Como não a encontrou, descontou sua raiva em quatro alunas.

De acordo com o titular do 8º Distrito Integrado de Polícia (DIP), delegado Paulo Benelli, Mônica confessou que bateu nas alunas, mas negou ter ameaçado a moça. Segundo o delegado, ela relatou que fez tudo em um ato de descontrole.

Em seguida, todos foram levados à delegacia para depoimento. Alterada, mesmo na frente da delegada plantonista, Mônica entrou em contradição ao ameaçar de morte a estudante de 13 anos.

Mensagens

O acritica.com teve acesso a mensagens enviadas por Mônica à estudante que bateu em sua filha. Conforme os comentários, a mãe diz que vai “partir a cara (sic) dela no meio” e que é pra ela ter cuidado porque se não vai “aparecer com a boca cheia de formiga”. Além das mensagens, a equipe de reportagem ainda teve acesso ao áudio que revela detalhes das ameaças. Em um dos trechos, ela diz que a estudante nunca mais vai pisar no Quarentão. Diz também que não está jurando de morte e sim que irá matá-la. Na delegacia, Mônica teria dito à policiais militares que só não matou as estudantes porque não tinha uma pistola naquele momento.

Marido defende Mônica

 A reportagem entrou em contato com o esposo de Mônica, Lindomar Fernandes, 40. De acordo com ele, o motivo de toda a confusão foi porque sua filha teria chamado a colega de falsa e que a mãe agiu em um momento de raiva. “Toda mãe faria isso. A moça bateu em nossa filha. Não vou passar a mão na cabeça da minha filha, ela está errada, mas não justifica o fato”, disse.

Ele afirmou também que a companheira ameaçou de morte, mas que na delegacia ela teria pedido desculpas. Segundo Fernandes, depois do episódio, quem estaria ameaçando de morte sua filha seria a aluna que a agrediu.

“Ela está com medo e não quer mais estudar. Todo mundo está falando que é minha esposa que é a vilã. Ela ameaçou sim de morte, mas foi em um momento de raiva, mas a verdade é que a filha dela que é está fazendo toda a confusão”, esclareceu Lindomar Fernandes. As agressões e ameaças estão sendo investigadas pelo 8º DIP. A outra família não atendeu às ligações.

Audiência na segunda-feira

Segundo o delegado Paulo Benelli, do 8º DIP, o caso de agressão física contra as alunas já foi encaminhado à justiça e uma audiência deve ser marcada para que as partes sejam ouvidas.

Em relação à briga das alunas, ele contou que está a cargo da Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), no Alvorada. O esposo de Mônica, Lindomar Fernandes, afirmou que uma audiência na Deaai já foi marcada para a próxima terça-feira (17) referente ao caso.

Questionado sobre as ameaças claras de morte, o delegado informou que este crime é de menor potencial ofensivo e que Mônica não poderia ficar presa. Contou também que na segunda-feira (9), uma nova ameaça por parte de Mônica foi registrada na delegacia.

“Nós já fizemos um novo procedimento para esta ameaça e vamos encaminhar a justiça”, disse.

De acordo com ele, a pena para este tipo de crime pode ser de 1 a 6 meses ou multa.


VEJA ABAIXO O PRINT DE UMA DAS AMEAÇAS DE MÔNICA A UMA JOVEM:


Publicidade
Publicidade