Terça-feira, 16 de Julho de 2019
CRATERAS NAS RUAS

Buracos recorrentes podem ser reflexos de erros na execução de obras, diz especialista

Esta semana um desmoronamento de mais um talude na avenida Brasil atraiu as atenções para o bairro da Compensa, Zona Oeste



ve_culo.JPG Obra de contenção de talude em frente à maternidade. Foto: Euzivaldo Queiroz
26/12/2017 às 21:43

A recorrência com que vêm sendo registrados afundamentos de calçada e pistas, que provocam o surgimento de crateras e a interdição de ruas, sugere que os reparos podem estar sendo realizados sem uma “análise de causa”. A afirmação é do doutor em engenharia de transporte Augusto Rocha, que ressalta que, caso a estrutura seja reconstituída tal qual estava antes da intervenção, sem tais análises, o problema provavelmente se repetirá naquele mesmo ou em outro lugar próximo.

Coincidência ou não, foi o que aconteceu na semana passada, na rua Pará, bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul. No último dia 17, após uma forte chuva, uma cratera se abriu no trecho entre a avenida Djalma Batista e a rua Javari, interditando totalmente a rua Pará. Seis dias depois, a equipe da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) estava finalizando a drenagem e manutenção preventiva no local quando outro buraco surgiu, um pouco mais à frente, no estacionamento da lanchonete Mc Donald’s.

Esta semana um desmoronamento de mais um talude na avenida Brasil  atraiu as atenções para o bairro da Compensa, Zona Oeste. Só nessa via, a principal do bairro - e endereço das sedes dos governos municipal e estadual - são três pontos com estrutura comprometida, além de um quarto com mureta de proteção quebrada.

Um dos pontos de desmoronamento de talude fica no sentido Centro/bairro, nas proximidades do Centro Magdalena Arce Daou, que é o mais antigo. O outro, no sentido bairro/Centro, próximo à Maternidade Moura Tapajóz, surgiu no dia 25. Em ambos os locais, uma faixa da pista está interditada. A via tem ainda outro ponto crítico, em frente à prefeitura, no sentido bairro/Centro devido a problemas em uma ponte. 

Alerta

Essas situações requerem muita atenção de pedestres e motoristas, de acordo com Augusto Rocha, que também é professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).  Ele alerta que, dependendo da localização, uma intervenção dessa pode afetar a cidade inteira. “Nos casos recentes da rua Pará eles provocaram impactos na cidade toda, mas foram minimizados pelas férias escolares e recesso de diversas instituições. É claro que é muito difícil ou mesmo impossível prever. Entretanto, faz-se necessária uma atenção na análise das causas, pelos motivos acima expostos, bem como um cuidado, pois os custos de reparos emergenciais normalmente são elevados”, enfatizou.

‘Culpa é do lixo’

O diretor do departamento de manutenção da Seminf, José Roberto Costa, aponta que o mau uso do sistema de drenagem é o que causa a maioria dos problemas atuais de infraestrutura na cidade. “A nossa rede de drenagem é preparada para receber água limpa, da chuva, não esgoto e lixo que muitas pessoas, de maneira errada, jogam nela e nos igarapés. Isso vai corroendo os tubos ao longo dos anos e com o tempo acontece o que aconteceu na rua Pará”, afirmou.

Obra concluída até amanhã

As obras de contenção de um talude nas proximidades da Maternidade Moura Tapajóz, na avenida Brasil, devem ser finalizadas até amanhã, de acordo com a Seminf. No caso dos trabalhos do talude próximo ao Centro Magdalena Arce Daou não há previsão. Conforme o diretor de manutenção da pasta, José Roberto Costa, no local precisa ser feito um rip rap. Ele afirmou que equipes da secretaria se dividiriam entre as duas obras.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.