Publicidade
Manaus
Manaus

Calor intolerável de Manaus aumenta em 5% consumo de água e 3,3% de energia elétrica

Temperaturas elevadas do verão amazônico já refletem na capital. Cerca de 9.500 litros de água por segundo foram fornecidos pela Manaus Ambiental entre os dias 18 e 22 de agosto, o maior pico de consumo registrado em 2014 11/09/2014 às 09:38
Show 1
Nesta quarta-feira (10), termômetros instalados nas ruas da cidade marcavam 40°C. Estimativa é que a média da temperatura máxima cresça de 1ºC a 2ºC, comparado com 2013
ACYANE DO VALLE ---

O forte calor que o manauense vem enfrentando desde o mês passado já interferiu no consumo de água, que aumentou mais de 5%, e no de energia elétrica – 3,3%. A média da temperatura máxima para o mês de setembro também sofreu um crescimento de 1ºC a 2ºC, respectivamente, em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam). E a onda de calor deve continuar até outubro.

“Para este ano, a tendência é que nos meses de setembro e outubro as temperaturas continuem elevadas, em torno de 1ºC mais alta em relação ao ano anterior. A diferença deste mês para o próximo é que, em outubro, há um aumento no volume acumulado de chuvas indicando o período de transição da estação seca para a estação chuvosa”, explicou Lucas Mendes, meteorologista do Sipam. Em setembro e outubro de 2013, a temperatura máxima média foi de 33,8ºC e 33,9ºC, respectivamente.

O dia mais quente deste ano, em Manaus, até agora, conforme registro da estação automática do INMET, foi 05 de setembro, quando a temperatura máxima chegou a 37,1ºC, superando a do dia 20 de agosto, que atingiu a marca de 37ºC. Apesar disso, a sensação térmica é muito maior. “Quando a gente está no meio da quentura, é ruim demais. Para mim, todo dia é muito quente”, comentou o pedreiro Clóvis dos Santos Reis, 75 anos.

Nesta quarta-feira (10), ele e os três filhos estavam trabalhando em uma obra na rua São Pedro, no bairro da Compensa, Zona Oeste, e o sol “não estava brincando em serviço”, segundo eles. “Eu uso blusa com manga longa para me proteger do sol e chapéu, mas no fim do dia parece que estou esturricado”, disse. Um dos filhos, Lindomar Rodrigues Reis, 40, comentou que para enfrentar o calor só molhando o corpo constantemente e tomando muita água.

O período de seca atingiu com força os canteiros das praças e passeios públicos da cidade e o verde deu lugar ao marrom. “Estamos na estação seca, caracterizada por uma queda significativa no volume de chuvas, com períodos maiores de dias com céu claro e poucas nuvens, favorecendo maior incidência de radiação solar e contribuindo para a ocorrência de temperaturas elevadas. A sensação térmica, normalmente para esta época do ano, fica em torno de 2ºC a 3ºC em relação a temperatura registrada”, explicou Lucas Mendes.

Maior aumento foi nas residências

O consumo de energia elétrica em Manaus, em agosto, teve um aumento de 3,3% em relação ao mês anterior. Um reflexo da elevação registrada na classe residencial, que foi de 9,2%, ocasionada, provavelmente, pelo forte calor.

De acordo com a Eletrobras Amazonas Energia, agosto registrou a maior demanda (ponta de carga) do ano, que foi de 1.352 MW.

ÁguaA partir do mês passado, o consumo de água em Manaus também aumentou por conta do forte calor. A concessionária Manaus Ambiental registrou crescimento de 5% a 7%. Para se ter ideia, entre os dias 18 e 22 de agosto, ocorreu o maior pico de consumo de água, chegando a 9,5 mil litros por segundo. Isso equivale a quase 500 galões de água por segundo.

Publicidade
Publicidade