Publicidade
Manaus
‘Inverno amazônico’

Calor serve de alerta para manter o corpo hidratado e para ganhar um dinheiro extra

Com máxima atingindo 37°C, a última quarta-feira (17) foi o dia mais quente desta semana, levando manauenses a aumentarem o cuidado - e os lucros - com as altas temperaturas 17/08/2016 às 22:01 - Atualizado em 18/08/2016 às 08:14
Show calor 1
A vendedora ambulante Zivanira Martins se protege como pode do calor, enquanto lucra com a venda de água no T1. Fotos: Evandro Seixas
Luana Carvalho Manaus (AM)

A última quarta-feira (17) foi considerada o dia mais quente desta semana em Manaus, com máxima de 37ºC, segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE). Hoje o dia também promete ser de calor intenso, com temperatura mínima de 26ºC e máxima de 36ºC.

Para fugir do calor, os manauaras correm atrás de vendedores de água mineral e uma sombra para se esconder do sol. Há quem brinque que, na capital amazonense, “há três sóis para cada pessoa”. É o caso de Manassés Santos Sena, 50, que ontem aproveitou o dia ensolarado para resolver pendências no centro da cidade. 

“A garrafa de água mineral para hidratar o corpo é indispensável. Quando vou para a rua bebo no mínimo cinco litros de água. Gasto bastante dinheiro comprando, mas é a única forma de amenizar esse calorão”, completou. Manassés só erra ao não usar filtro solar.

Ainda de acordo com o Inpe, ontem o Índice Ultravioleta (IUV) em Manaus bateu a escala ‘10’, o que é considerado  “muito alto”. Depois desta escala vem a 11, considerado IUV extremo.

Por isso, a vendedora de água mineral Paula de Jesus, 44, além de usar filtro solar, procura se proteger com chapéu e luva. “Tento me proteger do sol de tudo quanto é jeito. Da mesma forma que ele é meu aliado, por causa das vendas de água, não posso me descuidar”, alerta.

Para ela, o verão começou a “melhorar” neste mês. “Agora começou a esquentar mais e as vendas melhoraram, mesmo com tantos concorrentes”, completou. Segundo a ambulante, num único dia ela vende mais de 150 garrafas de água.

Fugindo do sol

Nos pontos de ônibus, usuários padecem com o calor. Muitas vezes nem a sombrinha dá jeito. “É o mesmo que nada. Para piorar, muitas paradas não têm um abrigo para fugir do sol”, reclamou a universitária Samira Leal, 27, que aguardava o ônibus no terminal improvisado na rua Itacoatiara, na Cachoeirinha, Zona Sul.


Até para o cão Rex o calor está difícil: ontem ele ‘ganhou’ um banho

No Terminal 1, a ambulante Zivanira Martins, 60, também se protege como pode. O local  já foi considerado por uma pesquisa do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) como a área de maior concentração de gases tóxicos da cidade. Por isso, em dias de verão intenso, Zivanira larga o trabalho mais cedo. 

“Já trabalhei  desde muito cedo até a noite. Mas, com o tempo, vi que não vale a pena. O que adianta passar o dia aqui, passando calor e inalando essa poluição, e não ter saúde? Por isso, nas horas que passo trabalhando não largo minha garrafa de água. Procuro ir mais cedo para casa para não ficar com nenhuma doença respiratória, como os meus colegas adquiriram”, comentou.

No bairro Cachoeirinha, Zona Sul,  até o cão Rex, de 9 anos, sofre com o calor. De acordo com funcionários da empresa onde o cão mora, todos os dias eles dão banho com mangueira no cachorro, para ajudar o ‘bichinho’ a enfrentar as altas temperaturas.

Chuva só na sexta

O Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Inpe prevê para hoje e amanhã  mínima de 26ºC e máxima de 36ºC, em Manaus e, segundo o Inpe, só na sexta deve chover. Para suportar o calor, especialistas recomendam a ingestão de 1 a 2 litros de água por dia e uso de filtro solar.

Publicidade
Publicidade