Publicidade
Manaus
ELEIÇÕES

Câmara Municipal de Manaus vive ‘recesso branco’ por conta das eleições

Ao todo, 23 dos 41 vereadores se candidataram ao pleito. Hoje pela manhã, apesar do painel marcar a presença de 37 parlamentares, somente 14 estavam no plenário 27/08/2018 às 16:32 - Atualizado em 27/08/2018 às 16:34
Show ee74c33d e9ae 4198 9459 961e08c5195f d737f3df 5706 4e10 83aa 6e4e29bb2182
Foto: Larissa Cavalcante
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

Na Câmara Municipal de Manaus (CMM), 56% dos 41 vereadores, o equivalente a 23 parlamentares, se candidataram para disputar as eleições gerais deste ano de olho nas vagas para deputado estadual, federal e senador. Parlamentares consultados pela reportagem alegam que se dividem entre ações do mandato e as atividades de campanha, todavia o que se vê, em alguns momentos, são as sessões plenárias esvaziadas.

Apesar do painel marcar às 10h20 desta segunda-feira (27) a presença de 37 parlamentares, somente 14 estavam realmente presentes no plenário. Antes de iniciar a ordem do dia, presidindo a Casa, o vereador Wallace Oliveira (PODE) convocou os parlamentares que estavam nos gabinetes a descerem para a votação. Após convocação e a chamada nominal, 30 vereadores compareceram a votação dos projetos de lei.

O presidente da CMM, Wilker Barreto (PHS), descarta “recesso branco” no parlamento. Questionado sobre as sessões esvaziadas, Barreto sustenta que os parlamentares estão em atividades nos gabinetes. “Estamos votando normalmente e mantendo o quórum. Vou ser enérgico, se cair o quórum será descontado dos vereadores que não estiverem em plenário”, afirmou.

Campanha nas ruas

Joana D’arc (PR), candidata a deputada estadual, afirmou que concilia as agendas, marca as reuniões e outros atos de campanha para noite. “90% da minha campanha é feita pelos meios de comunicação digital o que facilita e faz com que a campanha seja de baixo custo. Só não vou conseguir visitar todos os municípios pela limitação de estrutura, mas vou conseguir enviar minha mensagem por pessoas que acabam sendo soldados e comunicadores nos seus municípios”, declarou.

Candidato a deputado estadual, Álvaro Campelo (PP) contou que programou as atividades de campanha, por exemplo, caminhadas e panfletagem para tarde e à noite visando não interferir no mandato.

O vereador Sassá (PT), candidato à Câmara Federal, disse que as ações de campanha iniciam às 5h da manhã com visita aos canteiros de obra e em porta de fábricas. “Minha campanha maior é na capital porque é onde tem o maior número de trabalhadores. Não temos a mesma estrutura que os outros. O meu trabalho aqui é de segunda a quarta e nesses dias não saio de Manaus. Faltando 20 dias para eleição nós vamos nos outros municípios”, declarou.

Candidato ao Senado, Plínio Valério (PSDB) afirmou que não têm problemas em conciliar as atividades e avalia que o trabalhador deve comparecer no local de trabalho no horário a ser cumprido. Plínio cumpre agenda no interior, nos finais de semana, com o senador Omar Aziz (PSD), candidato ao governo da Coligação ‘Amazonas com Segurança’.

 “Vou nos municípios que forem possíveis, mas a prioridade é ir nos grandes municípios onde se concentra o maior número de eleitores. No momento é possível compatibilizar as atividades e se porventura tiver conflito de horários de gravação de programa eleitoral com visitas a municípios vou priorizar a propaganda. Eu não tenho base, então tenho que aparecer na mídia”, argumenta.

Renúncia

O vereador Ewerton Wanderley (PHS) desistiu da candidatura a deputado estadual, conforme decisão publicada na última sexta (24) no mural eletrônico da Justiça Eleitoral. Procurado pela reportagem, Ewerton justificou que o pedido de renúncia, de autoria própria, deve-se a motivação pessoal.

Publicidade
Publicidade